Ué, cadê a cor? Quarto setor da Grande Rio com pegada retrô brinca com estética preta e branca

Por Gabriel Leal

alapretoebrancoCom um enredo homenageando o comunicador Chacrinha, a Grande Rio mergulhou fundo na estética colorida do saudoso “Cassino do Chacrinha”.

A concentração da escola era um show de cores fortes, neón e figurinos cavados fazendo reverência às Chacretes. Mas essa não foi a única faceta do artista abordada pelo enredo.

O quarto setor da escola teve a missão de contrabalançar essa energia alta e mostrar o lado B de Abelardo Barbosa, o comunicador que lutava pelos bastidores. A alegoria “luta pelos bastidores” era predominantemente preto e prata, adornado com telões de LED exibindo imagens do próprio Chacrinha e outros artistas.

A atmosfera preto e branco não ficou somente na alegoria, mas nas alas que antecediam o carro. As alas 13 “Tá com pulga na cueca”, 14 “Zoando o zorro” também estavam na temática “preto e branco”. No corre e corre da concentração os componentes se familiarizavam com a fantasia e aprovaram a proposta “black and white”, um deles foi Elisabeth Pinheiro, de 40 anos, que desfila pela Grande Rio.

– Desfilo desde a época da Chica da Silva. Nesses 20 anos estou na expectativa de sair campeã. Acho que Chacrinha vai dar uma empurrada. Essa fantasia aqui é do Batman, nossa ala tá representado este assistente de palco. Tá dentro do enredo. Gostei do significado. Comemorou a Elisabeth.

Teve até presidente de escola de samba de fora do Rio caindo na folia no setor do Preto e Branco. André Nunes, presidente da escola Imperatriz Leopoldina, veio ao Rio para desfilar na agremiação de Caxias.

– Vim pra curtir. A fantasia está pesada, mas está bonita. A Grande Rio está com belas fantasias e alegorias. Não senti falta de fantasia colorida, não, gostei assim desse setor – contou.