União da Ilha apresenta fantasias para o Carnaval de 2018 sob aplausos e elogios da comunidade

Por André Coelho

ilha_fantasias2018_-2A União da Ilha apresentou os protótipos das fantasias para o carnaval de 2018, quando terá o enredo “Brasil bom de boca”, de autoria do carnavalesco Severo Luzardo, e falará sobre a culinária e a gastronomia brasileira. A noite de festa contou com a presença de todos os segmentos da escola e foi comandada por Milton Cunha.

Os que já conheciam as roupas a serem utilizadas por seus seguimentos estavam bem tranquilos e satisfeitos com o que vestirão na avenida, como é o caso de Mestre Ciça, pelo terceiro ano consecutivo à frente da bateria da escola:

– A fantasia da bateria está muito boa, levíssima. O Severo já sabia mais ou menos como eu queria, me deu o figurino um mês antes e eu falei: ‘está aprovadíssimo’. Eu acho legal essa conversa com o mestre de bateria, a mesma coisa com a ala das passistas, com as baianas deve ter acontecido também – revelou.

ilha_fantasias2018_-1Uma das mais empolgadas era Jurema de Castro, presidente da Velha Guarda:

– A nossa fantasia está maravilhosa, linda. Amei, está de parabéns nosso carnavalesco. É um ótimo trabalho que ele faz, tudo com perfeição. Ele sempre consulta a gente. É um carnavalesco muito integrado à comunidade, que respeita a nossa opinião. Nota mil para ele. Por mim ele não sai nunca da União da Ilha – exclamou.

Antes do início do desfile de fantasias, Milton Cunha anunciou a presença de 17 profissionais da gastronomia, entre chefs e donos de bares, que desfilaram pela passarela montada na quadra e foram aclamados pelo público presente. Todos bastante empolgados com a experiência, como contou com exclusividade ao CARNAVALESCO a renomada chef Flávia Quaresma:

ilha_fantasias2018_-5– Os chefs abraçaram (o enredo). Uma turma vem num carro, mas as confirmações (de presença) são muitas, todo mundo quer vir, pessoas que eu nunca imaginei que desfilariam – contou.

A ansiedade dos componentes em conhecer suas fantasias era evidente, mas não durou muito. De fácil leitura e aparentando a leveza que tradicionalmente agrada ao componente da escola insulana, mas sem abrir mão do capricho e beleza característicos do carnavalesco, as fantasias, principalmente do primeiro setor, o indígena, traziam bastante plumas e muitas cores, sempre com a predominância do azul, vermelho ou branco, cores da escola.

ilha_fantasias2018_-10Durante a passagem das fantasias do primeiro setor, que retrata a chegada dos portugueses e os alimentos por eles trazidos ficou clara a intenção de um começo em cores claras como branco, amarelo e dourado. Já no segundo setor, o dos alimentos utilizados pelos indígenas, o apresentador Milton Cunha chamou atenção para a plumagem presente nas roupas, pois reproduzia fielmente a utilizada pelos índios brasileiros da época do descobrimento, destacando o trabalho de pesquisa do carnavalesco Severo Luzardo, que revelou que muitas dessas plumas foram reaproveitadas do carnaval de 2017:

– Um dos nossos principais materiais para 2018 são as plumas que, em grande parte, são reaproveitadas do último carnaval o que proporciona uma grande economia – disse.

Nesse setor, a fantasia que mais chamou atenção do público foi a das baianas que representarão a banana. Tia Bené, presidente da ala, estava muito feliz com o que vão vestir no próximo carnaval:

– (A fantasia) está muito bonita, bem caprichada, o Severo é muito bom, a gente confia muito nele – elogiou.

O terceiro setor traz a influência dos negros na culinária brasileira mostrando não ilha_fantasias2018_-9só os alimentos trazidos da África, mas também os hábitos culinários e alimentares dos africanos, presentes até hoje na cultura brasileira. A ala de passo marcado que retrata o acarajé e o azeite de dendê foi uma das aplaudidas dessa parte da apresentação, não só pela fantasia como pela performance dos desfilantes. Depois de um início de predomínio do branco no primeiro e do azul no segundo setor, o vermelho se fez mais presente confirmando a intenção revelada por Severo quando falou ao CARNAVALESCO sobre a distribuição de cores nas fantasias:

– Nossa ideia é que a vista aérea da escola seja a das cores dela. Temos, claro, muitas outras cores nas fantasias, mas queremos que as pessoas que vejam o desfile de cima, vejam predominar o azul, o vermelho e o branco – informou.

Depois disso vieram as fantasias do quarto setor que representa o Brasil como celeiro do mundo, falando da importância e grandeza de nossa produção agrícola. Soja, trigo e as uvas brasileiras são alguns dos produtos retratados nas alas, em meio às quais destacou-se a apresentação da fantasia que representa o cacau, pois fazia referência também ao seu produto mais famoso, o chocolate. Nesta parte da apresentação, duas alas deixaram de ser mostradas, a 20 e a 21. As fantasias desse setor mostravam um trabalho muito caprichado que Severo Luzardo revelou ser todo feito pela própria escola, sem terceirizações:

ilha_fantasias2018_-4– Esse trabalho é feito por nossas costureiras e por alguns voluntários. A União da Ilha tem um programa de voluntariado muito bom que proporciona essa ótima mão de obra para a escola – contou.

Por último, foi apresentado o quinto setor que mostra os alimentos típicos e exclusivamente presentes no Brasil. Difícil destacar uma fantasia que tenha agradado mais aos insulanos, pois caipirinha, pão de queijo, guaraná, coxinha e açaí deleitaram por igual o público arrancando aplausos com ajuda do mestre de cerimônias. Ao final da apresentação, Severo Luzardo falou das dificuldades de se fazer carnaval em meio a tantas adversidades:

– É muito complicado, muito difícil, mas também não é a primeira vez que enfrentamos isso. Estamos sempre buscando soluções e saídas para todas as dificuldades, porém, no final, o mais importante é ver o componente da União da Ilha satisfeito, feliz e acho que conseguimos isso nessa noite – explicou.

ilha_fantasias2018_-8Ao final da apresentação, Ito Melodia assumiu o comando da festa entoando, acompanhado da bateria de Mestre Ciça, o samba-enredo escolhido para 2018. Todos os seguimentos da escola e, mais uma vez, todas as fantasias desfilaram pela passarela, confirmando que, caso consiga reproduzir todas as fantasias mostradas, a União da Ilha terá componentes muito bem vestidos, sem abrir mão da leveza que os permite brincar e sambar como gostam os insulanos.

As fantasias da União da Ilha para 2018:

Ala 1 – Glória ao café brasileiro – Ala Melodia
Ala 2 – Põe leite no café – Ala de Performance
Ala 3 – O requinte do açúcar – Ala Batuque de Batom
Ala 4 – Milhos: Grãos de Ouro – Ala Comercial
Ala 5 – Abacaxi, a fruta cheirosa – Ala Sou Mais Minha Ilha
Ala 6 – Os cajus de sabores inocentes – Ala Beleza Pura
Ala 7 – Pimenta, a alegria do Gosto – Ala de Performance
Ala 8 – A pacova da Terra – Ala das Baianas
Ala 9 – O Tucunaré – Ala Guerreiros da Ilha
Ala 10 – Melancias de Além-Mar – Ala Show da Ilha
Ala 11 – O Acarajé e o Azeite de Dendê – Ala de passo marcado
Ala 12 – Abóboras da Guiné – Ala Samba-Charme
Ala 13 – O sorriso de polpa com os dentes de sementes – Passistas
Ala 15 – A galinha de Angola – Ala Os Incas
Ala 16 – Feijoada à Moda – Ala Solidariedade
Ala 17 – A manga macia e cheirosa – Ala Raízes
Ala 18 – Grãos de Ouro: Soja – Ala Águias da Ilha
Ala 19 –Trigo, bom de bolo e muito mais – Ala Sorriso e Alegria
Ala 22 – Uvas brasileiras – Ala Empolgação da Ilha
Ala 23 – O cacau em festa – Ala Tropical
Ala 24 – A princesa nacional –Ala Alegrilha
Ala 25 – Pão de queijo – Ala Fênix da Ilha
Ala 26 – Guaraná, o marquês das bebidas nacionais – Ala de performance
Ala 27 – Coxinha de galinha: A rainha dos botecos – Ala Sambatuque
Ala 28 – Açaí: Príncipe da Amazônia – Ala Loucos pela Ilha
Ala 29 – Cozinheiros de raros sabores – Bateria