Unidos de Vila Santa Tereza já tem samba para desfilar a sua fé

A Unidos da Vila Santa Tereza definiu na manhã deste domingo seu samba-enredo para o Carnaval de 2013, quando desfilará com o enredo "Axé no caminho das águas", do carnavalesco Guilherme Alexandre. A parceria vencedora foi Carlos Ferreira, Rafael Gigante e Robert Farrow, com participação especial de Victor Rangel. Essa é a segunda vez que os compositores ganham na agremiação de Rocha Miranda. Em entrevista ao site CARNAVALESCO, o autor Gigante falou sobre o processo de composição de samba-enredo.

 
– Nos reunimos apenas quatro vezes. Cada um estudou individualmente a sinopse e depois nos encontramos e apresentamos nossas ideias. Também tivemos um encontro de tira-dúvidas com o carnavalesco e a partir daí começamos a elaborar a letra e a melodia simultaneamente. A minha parte predileta no samba é o refrão principal, pois fala sobre a nossa comunidade. Estamos na escola há apenas três anos e esse é o nosso segundo samba vencedor. É muita emoção porque ganhar na Santa Tereza pra mim tem o mesmo sabor que ganhar numa escola do Grupo Especial. Acho que fomos merecedores por termos a mesma garra, o mesmo empenho e dedicação desde o primeiro dia de eliminatórias.


* Veja aqui galeria de fotos da final
 
Terceira parceria, num total de cinco que se apresentarem na noite, teve a apresentação mais grandiosa e envolvente com o público. Cerca de duas mil bolas, muitos fogos, chuvas de papel picado, adereços de mão e decorações variadas, o samba teve como voz guia o intéprete Nino do Milênio, que conduziu com maestria toda a passagem do samba vencedor. Segmentos da escola acompanharam cantando. A bateria por sua vez não escondeu sua torcida e cantou junto.

 
– O samba para vencer precisa contagiar a Comissão de Carnaval – dizia o presidente Marcelo Figueiredo, antes do início da disputa. O dirigente revelou ao CARNAVALESCO que o Carnaval da escola está avaliado em R$ 500 mil (valor total da subvenção do grupo) e que um bom samba tem 50% de grau de importância para o sicesso do desfile. – É o samba que levará a harmonia, bateria e evolução e esses três levarão aos demais quesitos.
 
Antes do início da disputa de samba-enredo a escola apresentou os figurinos das alas comerciais através de desfile de protótipos. De acordo com o carnavalesco Guilherme Alexandre, o trabalho de barracão só será iniciado agora pois a agremiação teve problemas com o local do seu barracão, precisando obter novo endereço. Para ele, o carnaval acontecendo no início de fevereiro é ruim porque tudo precisa ser executado com mais pressa.
 
Como foram as apresentações dos finalistas:
 
Parceria de Jorginho PQD – Primeiro samba da noite iniciando sua apresentação às 2h40 da manhã. Por infrigir regra do concurso que proibia fogos no interior da quadra, precisou ser interrompido e iniciado novamente. A torcida utilizava bandeiras e segurou bem o samba na passada em que apenas a torcida cantava, porém não foi o bastante para colocar a plateia na levada do samba.
 
Parceria de Edson Papudo – Segundo samba da noite também precisou ser interrompido após o alguns minutos do início de devido a problemas no cavaquinho do palco. A parceria reiniciou sua apresentação mesmo sem cordas, que só foi resolvida quase no fim da apresentação. Bolas e bandeiras enfeitavam a quadra. Único samba da noite a não utilizar fogos de artifício. Os intépretes levaram o samba num ritmo acelerado demais, o que dificultou acompanhar a letra até mesmo através de prospecto. A torcida começou empolgada, mas foi perdendo o pique ao longo da apresentação.
 
Parceria de Jorge Harmonia – Quarto samba da noite, teve a difícil missão de se apresentar após a grandiosa festa que o terceiro samba fez. O palco cantou a primeira passada inteira sem torcida que só entrou na quadra já na segunda passagem do samba. Adereços de mão e bandeiras nas cores da África coloriam o visual da apresentação que foi bastante empolgada.
 
Parceria de Tião Tião (duas vezes Tião mesmo) – Última a se apresentar na noite, entrou sozinha na briga pela disputa ao título com o samba da parceria de Gigante, vencedor da noite. Com um refrão empolgante que fazia a quadra toda cantar (ÊH BABÁ, ÊH BABÁ traz a tua luz pra nos guiar), teve como voz condutora o intéprete Pixulé que interagiu com o público fazendo merecer a sua condição de samba finalista. A parceria levou adereços cor de prata, chuva de bolas do teto da quadra e senhoras vestidas de mães de santo.
 
Guilherme Alexandre contou ao site CARNAVALESCO que solicitou aos compositores na entrega da sinopse que fizessem um samba alegre, criativo e com poucos vocábulos em Orumbá para não prejudicar o entendimento ao samba. Também disse que estariam livres para se aprofundarem na pesquisa e irem além do que dizia a sinopse do enredo.
 
Bateria
 
Mestre Dó declarou que pretende colocar três paradinhas no samba vencedor, porém, seu foco principal é o ritmo cadenciado em torno de aproximadamente 144 BPM (batidas por minuto). A partir da escolha do samba, o mestre diz que apenas alguns detalhes precisam ser feitos na bateria, pois ela já está pronta para se adaptar ao samba vencedor, seja ele qualquer um dos finalistas. Sobre o que aguardar da bateria em 2013 o mestre é enfático:
 
– Em 2012 viemos bem, porém não tenho como saber em que momentos nós erramos no passado para os jurados, pois até o momento não recebi o livro com as justificativas. Sendo assim, em 2013 pretendo ousar menos nas bossas e focar o ritmo. Como não participaremos do ensaio técnico na Marquês de Sapucaí (a escola não adquiriu o direito a ensaiar devido a sua classificação no último carnaval) faremos alguns treinos nas ruas do bairro.
 
Rainha da bateria da Unidos de Vila Santa Tereza, a ex-BBB Ariadna deu show de simpatia à frente dos ritmistas. A musa revelou que tem alguns projetos em andamento para ajudar a fortalecer a sua relação com a comunidade da escola e revelou com exclusividade que organizará um concurso de Musa da Santa Tereza 2013 no qual a moça vencedora ganhará uma cirurgia plástica e um tratamento de beleza num SPA.
 
Responsável pelo anúncio do samba vencedor exatamente às cinco da manhã, o intéprete oficial Tiãozinho Cruz acompanhou a apresentação dos cinco sambas finalistas ao lado do palco. Para ele, os cinco sambas tinham qualidades, mas a escola saberia decidir qual deles era o melhor para a Sapucaí. Ainda de acordo com o intéprete, a partir da escolha do samba campeão a escola adapta a obra do compositor para a voz do cantor e faz alguns ajustes de melodia e letra, se necessário. Para ele um bom samba é 50% do caminho para o sucesso do desfile.
 
– Nos carnavais de antigamente o samba-enredo tinha uma importância maior. Hoje em dia os jurados julgam samba com a mesma medida que julgam os demais quesitos, porém, o samba é quem leva outros quesitos.
 
A Unidos de Vila Santa Tereza será a quarta escola a desfilar na sexta-feira de Carnaval.

 

 

Comente: