Veja os vídeos dos desfiles do Grupo E

Enfim, meus amigos leitores, começamos hoje a série de vídeos com os desfiles dos Grupos C, D e E. Quem me conhece e me vê correndo pela pista nos 3 dias sabe da trabalheira que dá filmar. Devem saber, porém, da enorme satisfação que é fazê-lo. Afinal isso fica estampado no meu sorriso de satisfação em assistir a esses desfiles e falar sobre eles. Pela primeira vez apresento desfiles na íntegra, sem cortes. Essa possibilidade, no entanto é muito mais do que fruto de uma ação benevolente. Infelizmente boa parte dela é causada por transtornos com meus instrumentos para a edição dos vídeos. Ainda que planejasse colocá-los completos para deleite de vocês, queria cortar sobras, defeitos, acidentes diversos que infelizmente passarão em vossas telas. Imaginava apresentar as escolas com suas devidas fichas técnicas o que infelizmente na será possível.

Aproveito para apresentar uma impressão particular desses desfiles, não como um dogma, mas sim como algo a ser debatido, no papel de crítico em que minha opinião é requisitada por esse site, tenho essa missão. Além de demandar participação não apenas no debate sobre os desfiles, peço que propaguem essa idéia. As escola sofrem bastante durante o ano com a falta de divulgação de seus eventos, ao menos seus desfiles merecem o devido reconhecimento do grande público.E no mais divirtam-se, seja curtindo bons sambas, curtindo a simplicidade desse carnaval, o clima do público de Campinho e até mesmo reconhecendo amigos e parentes que desfilaram nas escolas.

Vamos começar então com a apresentação das três primeiras escolas do Grupo E.

Chatuba de Mesquita

Simpática agremiação da baixada fez um desfile divertido contando a história do sorvete. Aqui podemos notar como as novas escolas têm muito mais fôlego e chão que muita escola antiga. A organização do desfile é bem interessante. Para quem não conhece uma das mais árduas tarefas na Intendente Magalhães é desfilar as 19 horas e a escola fez isso com maestria. Mesmo bem distante do local de desfile, com horas de antecedência já estava pronta e organizada para tal. A bateria é um dos pontos positivos da escola, bem consistente.

Unidos do Uraiti

A Uraiti é uma escola tradicional do Rio de Janeiro que há um bom tempo vem se debatendo em um processo de crise profunda. Nos últimos dois carnavais nem carro a escola levou aos desfiles.Houve ano em que simplesmente não apresentou comissão de frente. Em 2011 com a pressão do encerramento das atividades parece ter tentado uma reação. Trouxe um samba bom, apesar de muito grande. Todas as alas fantasiadas, apesar de um conjunto irregular. Finalmente apresentou uma bateria organizada e bem conduzida. O destaque é a mestre Ellen, a única mulher a comandar uma bateria no Rio de Janeiro.

Unidos do Cabral

O Cabral é outra escola que parece ter sofrido uma reviravolta após a reestruturação da AESCRJ. No último carnaval a escola fez um desfile melancólico não apresentou carros ainda no Grupo D e deixou de cumprir uma série de exigências regulamentares. Eis que em 2011 o Cabral traz um enredo simples, mas com bastante apelo junto ao público, com leitura fácil. A comissão de frente fez sucesso entre o público e me conquistou. Foi uma das melhores senão a melhor que passou nos três grupos. Poderia ter levado o caneco com justiça, tanto que apontei a mesma como uma das favoritas na coluna após os desfiles.