Vera Lúcia apresenta suas propostas para o Império Serrano

 

 

Canidadata mais experiente ao pleito de presidente do Império Serrano, Vera Lúcia Correa, atendeu à reportagem do CARNAVALESCO e respondeu aos questionamentos acerca do futuro da agremiação. Vera já presidiu a escola entre agosto de 2010 e maio de 2011. Além de Vera, a chapa possui os candidatos a vice Gilvan (Finanças), Paulo Elias (Carnaval), Paula Maria (Social) e Wilton (Cultural). Essa semana houve a junção da chapa "Alô Família Imperiana" (de Vera) e "Resgata Império", de Egas Muniz, o Baloeiro, que optou por não mais concorrer. A nova chapa foi nomeada "Resgata Família Imperiana".

Confira abaixo o bate-papo com Vera Lúcia:

Por que você quer presidente do Império Serrano?

Vera Lúcia: Eu vim pro Império Serrano com oito anosa de idade, cresci aqui e até me casei aqui. Tenho muito amor pelo Império e quero resgatar a dignidade dessa escola. Acho que depois da minha família a coisa que eu mais amo é o Império Serrano, por isso quero ser presidente.

Como colocar o Império Serrano no Grupo Especial?

Vera Lúcia: Não acho prudente prometer Especial no momento em que a escola se encontra. A prioridade deve ser estruturar a escola, com compromisso e aí o acesso é consequência de um bom trabalho. Mas no momento atual é absolutamente inviável.

Qual sua análise do quadro político do Império Serrano? Uma escola que precisa de união tem 4 chapas concorrendo na eleição. Por que a disputa presidencial é tão grande na escola?

Vera Lúcia: Tem candidato demais, tem sócio demais, que nunca frequentou nossa quadra. Mas o imperiano de fé está comigo. Mas eu pretendo convidar todos os candidatos pra conversar, precisamos realmente de união. Só não sei se eles vão topar.

Qual sua análise sobre a administração do presidente Átila?

Vera Lúcia: Eu não tenho nada de pessoal contra o presidente, ele sempre me respeitou muito e é uma figura que merece todo o respeito do mundo do samba. Agora, eu acredito que ele assumiu um cargo sem o devido preparo. Não se cercou de gente que olhasse mais pela escola. Talvez ele tenha sido usado.

Hoje qual é o tamanho da dívida do Império Serrano e como pagar?

Vera Lúcia: No mínimo de R$ 5 milhões. A única maneira de pagar essa dívida é chamar os credores, só dessa forma poderemos caminhar. O Império Serrano está sem credibilidade, precisamos resgatar o nome da escola. Quando deixei a escola não havia nenhuma dívida.

Como tornar a quadra do Império Serrano rentável para escola e que ajude nas despesas do carnaval?

Vera Lúcia: Não há muito o que fazer na quadra. Basta que ela volte a funcionar, algo que não tem acontecido nos últimos anos. Pretendo resgatar as Terças Nobres, o Botequim do Império, as Feijoadas. Pretendo trazer o Jorginho do Império de volta para a escola. Estamos em uma região central de Madureira e nossa quadra vive fechada. O sócio paga R$ 15 por mês para não usar a quadra. Vou mudar isso.

Caso seja eleita, você vai manter o carnavalesco Eduardo Gonçalves e o que pensa para enredo?

Vera Lúcia: Vou conversar com o Eduardo caso eu vença, mas já tenho carnavalescos alinhavados e enredos engatilhados, alguns com patrocínio garantido, mas não posso dar mais detalhes sem que eu ganhe a eleição.

Caso eleito, você vai manter mestre Gilmar no comando da bateria? O que fará nas vagas de intéprete, diretor de carnaval e casal de mestre-sala e porta-bandeira?

Vera Lúcia: A equipe será renovada em alguns setores. Mas o Gilmar é intocável. A bateria é a única coisa que ainda nos orgulha. Acredito que o Pedro Arídio não fique caso eu vença, porque ele compõe outra chapa. E pretendo investir em cantores da própria escola para o lugar de Clovis Pê.

 

Comente: