Viradouro e Unidos de Padre Miguel dominam o sábado e dividem briga pelo título da Série A

Por Eduardo Fonseca, Rodrigo Coutinho, Thiago Barros, Gabriel Leal e Luis Felipe Aragão

O esperado duelo Viradouro e Unidos de Padre Miguel pelo título da Série A no Carnaval 2018 aconteceu na madrugada deste sábado e manhã de domingo. A disputa não parou no Sambódromo. Fora da Avenida, as duas escolas dividem opiniões sobre suas performances. As duas exibições foram no nível prometido durante todo o pré-carnaval. Os erros e acertos são apontados nas duas e com pesos parecidos. Surpresa agradável, a Cubango fez um desfile com leitura fácil do enredo e mérito total da dupla Leonardo Bora e Gabriel Haddad.  A Inocentes de Belford Roxo e Alegria da Zona Sul também passaram bem pela pista e não correm risco na quarta-feira de cinzas. Santa Cruz e Rocinha não conseguiram um rendimento regular e estão na corda bamba na apuração.

Veja abaixo como foram os desfiles de sábado na Série A.

ALEGRIA DA ZONA SUL

alegria_desfile_2018_73

O aguardado sábado de desfiles da Série A começou com a Alegria da Zona Sul fazendo uma das suas melhores apresentações dos últimos anos. Tirando 2016, com uma décima colocação, a escola vem brigando sempre para não voltar à Série B. Em 2018, ela deve até ficar novamente na parte inferior da tabela, mas deixa a Sapucaí com o dever cumprido.

SANTA CRUZ

santa-cruz_desfile_201845-7

A Santa Cruz trouxe uma exaltação a fé, mas não basta ter somente crença para realizar um grande desfile. Apostando na volta do carnavalesco Max Lopes, a escola da Zona Oeste viu seu contestado samba render na Avenida, mas um problema na última alegoria para entrar na pista, abriu um grande buraco, que chegou até o segundo módulo de jurado, e, fará a agremiação brigar para se manter na Série A.

VIRADOURO

viradouro_desfile_2018_47-4

“Sou Viradouro, sou paixão” é um verso histórico da Viradouro, consagrado no samba de 1998 e repetido agora, 20 anos depois, para exaltar a relação de paixão entre seus componentes e torcedores com a agremiação. Afinal, a emoção é um componente que não é julgado, mas é fundamental no carnaval.

ROCINHA

rocinha_desfile_2018_24-2

Tinha tudo para dar certo para Acadêmicos da Rocinha. Marcus Ferreira, carnavalesco campeão da Série A, no Império Serrano em 2017, foi contratado para fazer o enredo, pelo abre-alas, documento entregue aos jurados, o enredo seria perfeito, as fotos dos protótipos eram excelentes, além do samba muito elogiado no período pré-carnavalesco. Porém, a quarta escola a desfilar na Sapucaí, no sábado de carnaval, pecou em quase todos os quesitos, salvo pela comissão de frente e o belo samba. A plástica ficou aquém do esperado, com problemas em fantasias e alegorias, com isso o quesito enredo ficou comprometido. Além disso, problemas em evolução piorou a situação da Borboleta Encantada, com clarões na pista, correria e sem a bateria entrar no recuo a Rocinha briga para não cair.

CUBANGO

cubango_desfile_2018_31-2

O desfile da Acadêmicos da Cubango em 2018 tem nome(s) e sobrenome(s): Gabriel Haddad e Leonardo Bora. A dupla de carnavalescos pintou e bordou na Sapucaí. Foi um desfile extremamente agradável visualmente, com soluções criativas em alegorias, fantasias, comissão de frente…

INOCENTES DE BELFORD ROXO

inocentes_desfile_2018_50-5

Numa noite de boas apresentações, a Inocentes de Belford Roxo pisou na avenida como uma das postulantes ao título da Série A. Nem mesmo uma complicação no último carro da Acadêmicos do Cubango, que ocasionou um atrasou de 10 minutos no início de desfile da escola, foi capaz de esfriar a força que a Inocentes preparava para desfilar. A agremiação já havia executado pelo menos quatro passadas do samba, o presidente discursou, pediu que a bateria aguardasse a liberação da Lierj e alguns minutos depois, a Caçulinha da Baixada retomou o seu esquenta.

UNIDOS DE PADRE MIGUEL

upm_desfile_2018_68-2

Não tem jeito! Na atual conjuntura dos desfiles da Série A tem sido complicado apontar uma campeã antes da passagem da Unidos de Padre Miguel. Neste sábado a história se repetiu. O ”Boi Vermelho” da Vila Vintém voltou a fazer um desfile digno de quem quer ascender ao Grupo Especial e novamente levantou o público da Marquês de Sapucaí. Apesar da avaliação positiva, não foi um desfile perfeito, o que ocasiona o duelo com a Unidos do Viradouro esperado por todos no pré-carnaval. A Unidos de Padre Miguel encerrou a sua participação com 53 minutos. A vermelha e branca passou no Sambódromo com o enredo ”O Eldorado Submerso: Delírio Tupi-Parintintin”, desenvolvido pelo carnavalesco João Vitor Araújo.