Viradouro mostra a garra de sua comunidade e faz grande ensaio nas ruas do Barreto

Por Matheus Emanuel

viradouro_rua2101_1A Viradouro realizou na noite de domingo o ensaio de rua no bairro onde a escola tem raiz. As ruas do Barreto formaram a passarela para que a Vermelho e Branco de Niterói desfilasse. O grande destaque ficou por conta do chão da escola, os componentes vibraram do início ao fim do ensaio, que foi prestigiado por uma multidão de torcedores fervorosos, que por sinal também estavam com o samba na ponta da língua.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

O casal da Viradouro brindou o público com uma apresentação digna de Marquês de Sapucaí. Se mostrando totalmente à vontade, Julinho e Rute interagiram com o público em boa parte do ensaio, mas não deixaram de executar um belo bailado. Destaque para o final do ensaio, onde Rute se juntou as passistas e sambou ao som de grandes hinos da escola que foram executados após o fim do ensaio, levando o público ao delírio.

Harmonia

Ponto alto do ensaio. Em dado momento, ficava difícil ouvir o carro de som, devido ao canto efusivo dos componentes. Mesmo aqueles que se distanciavam da bateria cantavam o samba com uma força incrível. O volume do canto não foi diminuído ao longo do ensaio, pelo contrário, a sensação foi a de dever cumprido ao fim do ensaio. A comunidade da Viradouro impressionou os presentes deixando claro que a escola possui um chão muito forte. A ala que mais se destacou foi a Ala das Baianas, cantando em alto e bom som, o samba de 2018. Zé Paulo se apresentou bem, como é de costume, sempre interagindo com a bateria e com o público do ensaio.

viradouro_rua2101_2– É um ensaio diferente, a gente faz mais pra comunidade, tem aquela ideia de festa, mas a gente transforma tudo em trabalho. A riqueza da Viradouro sempre foi o chão. Nós lidamos com o favoritismo de maneira muito natural – disse Dudu Falcão, um dos diretores de carnaval.

Evolução

A evolução se deu de maneira correta, a organização dos diretores chamou a atenção. Muitos deles estavam com fones de comunicação completamente compenetrados em executar o progresso da escola da maneira mais exata possível. As alas estavam bem sinalizadas e não demonstraram nenhum sinal de confusão entre elas. A bateria entrou no recuo de forma tranquila, enquanto a escola desfilava pelas ruas do Barreto em tom de festa, entretanto, com muita responsabilidade, demonstrando claramente que esse era mais um teste para a escola.

Samba-Enredo

Amplamente cantado pela comunidade, a obra teve um rendimento satisfatório. Não é um samba de contornos excelentes, mas acaba melhorando sua performance graças aos seus componentes e ao seu estrelado carro de som, que além de Zé Paulo, conta com os experientes Celino Dias e Ronaldo Ylê, intérpretes que já foram as vozes oficiais de grandes escolas e hoje integram o carro de som da Viradouro.

viradouro_rua2101_3– Aqui é a casa da Viradouro, é o bairro da escola, é onde estão os torcedores raiz da Viradouro, as pessoas que fundaram a escola estão aqui. Não me considero ídolo, ainda estou no começo da minha história. Não existe favoritismo na Série A. O maior exemplo disso é a Unidos de Padre Miguel ano passado, que era favorita pra subir e no desfile aconteceu aquela fatalidade, e acabou não ficando nem em segundo lugar. É muito importante que a escola tenha confiança, saiba do que pode fazer, mas também que precisa desfilar e que tudo acontece lá dentro, se não desfilar bem, se cometer erro não vai ganhar nada – concluiu.

Bateria

Sob a regência de mestre Maurão, a bateria da Viradouro fez um excelente trabalho no ensaio, executando bossas ousadas e com coreografias. O andamento se mostrou muito confortável para que a escola pudesse entoar o samba com facilidade. A rainha Raissa Machado reinou de forma bela à frente dos seus ritmistas, demonstrando samba no pé e muito carinho perante ao público.

O ensaio contou com a presença do ator, Érico Brás, que interagiu com o público de forma muito carismática, posando para fotos ao fim do ensaio. O presidente Marcelo Calil também marcou presença no ensaio da Vermelho e Branco, vindo na cabeça da escola, ele orientou seus componentes e se comunicou com os diretores de harmonia pelo rádio para saber se o ensaio estava de acordo com o planejado.