Viradouro vai exaltar niteroienses ilustres para tentar voltar ao Grupo Especial

 

 

Ela foi a última escola de samba a conquistar um título inédito no Grupo Especial, em 1997. Foi também uma das poucas agremiações que ao subir pela primeira vez para a elite, além de não cair, se manteve por lá por longos anos. E a sensação que se tem ao ver os desfiles da Viradouro na Série A é que a escola só está ali de passagem. E é por isso que a vermelho e branco de Niteroi não vai poupar gastos para voltar ao Grupo Especial ao trazer o enredo "Sou a terra de Ismael. Guanabaran vou cruzar, para você tiro o chapéu, Rio eu vim te abraçar", uma homenagem à cidade e a niteroienses ilustres.

De acordo com o carnavalesco João Vitor Araújo o carnaval da Unidos do Viradouro é um dos mais caros da Série A. – Estamos orçados em R$ 2,5 milhões, mas isso não quer dizer que vamos gastar tudo isso, disse João em entrevista ao CARNAVALESCO no barracão da escola. Apesar da boa condição financeira, a vermelho e branco sofreu com a falta de estrutura e só agora viu o trabalho de barracão avançar. – Só viemos para este espaço em novembro, quando todas as outras escolas já estavam com seus trabalhos avançados, justificou João Vitor.

Como a letra do belo samba-enredo sugere, o carnaval da Unidos do Viradouro vai exaltar a cidade de Niterói e o orgulho que aquele povo tem da cidade, uma das melhores para se viver no Brasil, segundo os indicadores sociais. – Queremos mostrar na avenida as riquezas, a história de Niterói, mas olhando pela ótica do niteroiense.

O jovem carnavalesco da vermelho e branco assinará sozinho um carnaval pela primeira vez, apesar de já ter trabalhado com outros artistas, como Max Lopes e Fábio Ricardo. João Vitor explica o porque deste título. – Na verdade foi uma homenagem ao Oswaldo Jardim, um carnavalesco que me inspirou muito. Em 1992 ele fez um enredo na Unidos da Tijuca com esse nome, que é fictício, e eu achei que cabia essa homenagem, uma vez que o nosso tema permitia, explicou.

A história de Niteroi vai ser contada pela Viradouro através dos grandes personagens que fizeram parte da história da cidade. No primeiro setor o grande destaque é Arariboia, o índio guerreiro que foi o fundador da cidade sorriso. Em seguida se inicia o processo de evolução urbana e industrial. Neste setor aparece o Barão de Mauá, pioneiro da indústria naval no Brasil.

A partir do terceiro setor da escola o grande personagem destacado é João Caetano, considerado um dos pais do teatro brasileiro, criador da primeira encenação totalmente brasileira em 1808, intitulada "Memórias do Diabo".  Em seu quarto setor a escola fala das paisagens da cidade, com o profeta Gentileza como fio condutor. – Uma mensagem de amor, paz e esperança, que ele sempre pregou, diz o carnavalesco João Vitor.

No último setor da escola, o enredo vai retratar a arquitetura e os festejos de Niteroi, com uma homenagem a Oscar Niemeyer e à própria Viradouro, na figura de Joãosinho Trinta, que era o carnavalesco da escola no ano de seu único título do Grupo Especial. – João será o meio de transporte para Niteroi atravessar a ponte e encontrar o Rio. Um abraço simbólico da cidade sorriso na cidade maravilhosa, explica o carnavalesco.

Afastada do Grupo Especial desde 2010 a Unidos do Viradouro busca retornar para a elite, onde ficou por quase 20 anos ininterruptos, sendo a 5ª escola a desfilar no sábado de carnaval.

Comente: