CARNAVALESCO acompanha o primeiro ensaio da porta-bandeira Jéssica Ferreira

casal_upm2018_5

A madrugada do dia 24 para 25 de fevereiro de 2017 ficará marcada para sempre na vida dos jovens Jéssica Ferreira e Vinicius Antunes. O casal de mestre-sala e porta-bandeira da Unidos de Padre Miguel se preparava para finalizar a apresentação na cabine dupla de julgamento e Jéssica torceu o joelho. A fatalidade interrompeu o sonho da escola que fez um desfile brilhante. A alegria deu lugar a dor. A esperança ao desespero. Tanto meses de ensaio e dedicação estavam enterrados por um momento. Vinicius seguiu o desfile ao lado da segunda porta-bandeira, Cássia. Rio de Janeiro, 18 de maio de 2017. Jéssica está recuperada e volta a ensaiar ao lado de seu parceiro. A reportagem do CARNAVALESCO acompanhou com exclusividade o primeiro ensaio dos dois depois do acidente. Veja o vídeo abaixo do primeiro da dupla.

O diagnóstico dado pela equipe do Hospital Souza Aguiar era de entorse no joelho. Não seria necessária uma intervenção cirúrgica e a dançarina poderia enfrentar o período de fisioterapia para regressar a dançar. A porta-bandeira conta como foi a recuperação desde o início.

casal_upm2018_3– A princípio quando vi já estava no chão, sem entender o que estava ocorrendo. Quando fui tentar levantar não consegui. Não me desequilibrei, foi brusco. Eu não sabia direito o que havia ocorrido, minha perna estava toda dormente. A médica disse que provavelmente o joelho saiu do lugar na hora. Ao chegar no hospital fizeram uma radiografia para saber se havia fratura. Eu não conseguia levantar a perna. E sentia muita dor. Me deram um remédio e foi amenizando a dor. A dor voltou após um tempo e voltei a ser medicada. Nos primeiros dias não conseguia dormir, pois quando passava o efeito voltava a dor. Foi uma entorse no joelho, que foi detectada por uma ressonância magnética. Houve uma leve fissura no fêmur também. Fiz uma pulsão depois de 12 dias. Doeu bastante, mesmo com anestesia. A partir daí meu joelho começou a desinchar. Estou fazendo fisioterapia ainda. Quando eu terminar terei que voltar no ortopedista para ver como está o joelho. Vou entrar no fortalecimento em seguida. Faço alongamento, dobro e estico o joelho. Ultrassom, corrente russa para estimular o músculo, bicicleta para o estímulo de movimentos, bastante gelo no joelho, pomadas musculares para amenizar a dor. O movimento que me fez cair eu estou repetindo para ver como o joelho reage. Ainda sinto alguma fraqueza no joelho, pois ainda não comecei o fortalecimento. Mas dor eu não sinto mais nenhuma – explica a porta-bandeira.

Fatalidade aproxima ainda mais uma dupla que se entende no olhar

É nos momentos de dificuldade que os verdadeiros amigos se apresentam. Ainda mais quando eles vivem juntos o momento de dor. O que aconteceu no desfile da Unidos de Padre Miguel deste ano serviu para aproximar ainda mais Jéssica e Vinicius.

casal_upm2018_1– Depois da fatalidade nosso primeiro contato foi engraçado. Cheguei chorando no hospital e ela estava sorridente. Ela que me apoiou. Jéssica me deu muita estrutura, pois eu era muito novo quando entrei na escola. Estive perto o tempo todo dela. Eu sou sentimental e ela é muito forte – disse o mestre-sala.

Jessica agradece o companheiro e afirma que ela e Vinicius são um só e cada dia mais fortes.

– É muito importante o apoio dele para mim. Nós somos um só. Ali estamos unidos pelo objetivo dos 40 pontos. Somos muito amigos desde o nosso primeiro ano. Eu sei que posso sempre contar com o Vinicius – finaliza.

Medo do futuro e preocupação com notas abalaram a dançarina

Depois que estava instalada no hospital e com a poeira baixa a porta-bandeira Jéssica começou a processar quais seriam as consequências do que havia acontecido. Ainda sem saber a dimensão da gravidade que teria sido a lesão no joelho e a reação da diretoria da Unidos de Padre Miguel, o medo tomou os pensamentos da jovem.

casal_upm2018_2– A princípio fiquei muito preocupada com as notas. Depois que fui abraçada pela escola passei a sentir medo pelo meu futuro na dança. Procurei ajuda e muitos amigos estão me ajudando nessa recuperação para tornar ela o a mais rápida possível. A escola teve a melhor reação possível. Se demonstraram o tempo todo preocupados comigo. Disseram que era para eu me esquecer das notas. Que o importante era a minha recuperação. Isso me deu muita confiança. Eles sabem o quanto eu sou dedicada e esforçada à Unidos de Padre Miguel – declara Jéssica.

Ainda mais jovem que a parceira, Vinicius Anteunes conseguiu manter a calma e a serenidade quando o mundo estava desabando diante de sua cabeça.

– Naquele momento com ela caída graças a Deus eu fiquei tranquilo. Ninguém poderia tocar nela ali só eu. É claro que na hora bate uma tristeza grande, pois a gente se preparou tanto. Mas consegui manter o controle com toda aquela situação. O meu pensamento estava todo o tempo na Jéssica. Eu queria sair ali junto com ela. Nesse momento éramos eu e ela. Segui o desfile e procuro não pensar muito nisso. Eu não consegui ver o vídeo até hoje. A própria Jéssica já viu mas eu não consigo assistir. Ela viu já no domingo. Que atitude tomar naquela hora? Eu não sabia. Fui fazendo o que meu coração mandou. Um misto de tristeza e orgulho da Jéssica. Eu sabia que a volta por cima seria dada – relembra.

Apoio de casais veio de imediato e até mensagens de fora do país para Jéssica

Ainda longe do status dos casais do Grupo Especial, Vinicius e Jéssica foram abraçados pelos companheiros de dança de todo o carnaval. Nomes do quilate de Selminha Sorriso, Lucinha Nobre, Raphael Rodrigues e Denadir Garcia manifestaram apoio para porta-bandeira. Ela conta que tanto carinho foi mais analgésico que os remédios no hospital.

casal_upm2018_4– No domingo de carnaval todos os casais da Série A foram me visitar e o então segundo casal do Salgueiro (Jaqueline e Vinicius). Vários casais do Especial me ligaram. Foram muitas mensagens de apoio, gente que nem me conhecia, até da Argentina eu recebi apoio. Foi o melhor remédio para a dor no meu coração – declara.

Vinicius recorda da homenagem prestada pela Mocidade Independente de Padre Miguel. Na ocasião, a campeã do carnaval no Desfile das Campeãs convidou o mestre-sala para acompanhar a porta-bandeira Cris Caldas e Jessica, ainda impossibilitada de dançar, desfilou junto deles.

– Foi muito importante receber esse carinho. A homenagem da Mocidade foi muito prazerosa e importante pra gente, pois estava muito triste. Devemos todo agradecimento aos nossos amigos casais. Nesse momento de dor houve um abraço muito grande de toda a comunidade do samba. Foi bacana demais – relembra.