Wagner Araújo diz que algo está errado na Imperatriz

O décimo lugar não agradou em nada os componentes da Imperatriz. O diretor musical da agremiação, Mário Jorge Bruno, comentou a classificação.

– Esperávamos um resultado positivo apesar dos acidentes ocorridos no percurso, pretendíamos voltar nos desfiles das campeãs. Esperávamos nossa máxima na bateria de mestre Noca, revelação do carnaval. As piores notas que a agremiação recebeu foram em bateria, enredo e samba-enredo, no meu ponto de vista, nesses três quesitos não mereciámos as baixas notas que recebemos, a bateria imprimiu um ritmo firme na atuação diante de todos os módulos de julgadores. Não aceitei principalmente as notas dos julgadores de bateria (Cláudio Luiz Matheus e Leandro Osiris), porque diante desses dois módulos não houve erros – pontuou Mário, que já foi jurado de bateria.

Guilherme Nóbrega, diretor de harmonia da agremiação, afirma que sua escola não mereceu ficar na posição em que ficou.

– A Imperatriz fez um grande desfile, não mereceu o 10° lugar, porém diante do resultado considero que seja um momento de fazer reciclagem. Parabenizo o carnaval campeão e a partir de hoje batizo a hamonia com o nome de Guerreiros da Harmonia – contou.

O diretor de carnaval, Wagner Araújo, preferiu não fazer análises sobre o resultado, pelo menos não neste momento, mas já apontou que há erros.

– Não adianta num momento como esse querer fazer análise, prefiro avaliar o resulttado final de cabeça fria, porém, chego a conclusão óbvia que algo está errado e providenciaremos o acerto. Uma agremiação que possuía um enredo e samba-enredo como o nosso, ficar em 10° lugar não é certo. Ainda é cedo para falar sobre mudanças – concluiu.