Abre-alas do Estácio de Sá resume o enredo e traz velha guarda

1023

Por Larissa Rocha

Terceira escola a desfilar no sábado, Estácio de Sá trouxe para a Avenida o enredo “A fé que emerge das águas’’, fazendo uma homenagem a Franklin Roosevelt. A agremiação ainda contou a história do Cristo Negro, imagem encontrada por um pescador nas águas de Porto Belo, no Panamá, em narrativa semelhante a de Nossa Senhora Aparecida. No abre-alas, um carro grandioso, com muitos acabamentos em material plástico e bastante uso das cores laranja, rosa, lilás e amarelo resumiam todo o enredo da escola e traziam a velha guarda.

O carro, nomeado de “Catedral Aquática”, representava a igreja de San Felipe, onde fica o santo, e estava guardada por dois leões imensos, símbolo da escola. Os detalhes aquáticos puderam ser vistos em escamas feitas de plástico pelo carro inteiro, conchas e algas feitas de tecido. A religiosidade era vista na lateral, com altares para São Jorge, São Sebastião e Nossa Senhora Aparecida. Fantasiadas de beatas, as mulheres da velha guarda também ajudaram a compor este cenário.

Ciro Amorim desfila na Estácio há 40 anos e conta que apesar de sempre vir em carros com a velha guarda, o abre-alas tem uma emoção diferente: “O carro estava lindo, mostra o Cristo Negro e nossa senhora aparecida fazendo a sincronia. Nosso carnavalesco é espetacular, ele faz tudo pela velha guarda. Se nada acontecer de errado, a Estácio é campeã’’, afirmou.

Neto de fundadores da escola, Wanderlei da Cruz completa 50 anos desfilando pela escola neste carnaval e ficou apaixonado pelo carro:

“Ele é maravilhoso, diz tudo o que a gente precisa e tem a nossa santa. Não tem como a vitória não vir’’, relatou.

Destaque do carro com a fantasia de São Jorge, Ruan Mendes disse que a Estácio veio para impressionar.

‘’A gente não veio pra brincar, veio pra brigar pelo título e lutar por um bom carnaval’’, afirmou Ruan.

 

 

Nascida e criada no morro de São Carlos, Alba Regina Cruz desfila desde que se entende por gente pela Estácio. Muito emocionada, Alba veio representando Nossa Senhora Aparecida.

“Foi uma honra, não tem tamanho. Com a ajuda da santinha, vamos ganhar esse carnaval”, torceu a desfilante.

Comentários