Por Gabriella Souza

O ensaio de rua da Unidos da Tijuca nesta quinta-feira não aconteceu devido à chuva forte que assolou o Rio de Janeiro em diversos pontos da cidade. Mas há quem pense que isso atrapalhou os tijucanos, os que estavam presentes aproveitaram estarem ilhados na quadra, localizada na Avenida Francisco Bicalho, Leopoldina, para realizar um ensaio de canto. Durante 50 minutos de treino, a quadra foi enchendo e vibrando com um ensaio animado, de canto forte comandado por Wantuir que puxava o público para cantar com força, no que mais parecia uma ‘festa’. O ensaio foi leve e com muita animação, já notada pela Tijuca desde seus primeiros ensaios. A atitude foi corretíssima, na reta final para o carnaval, perder qualquer oportunidade de estimular o envolvimento da escola em ensaios e canto é crucial. O ‘cantinho na cidade’ tornou-se abrigo de samba, que fez os componentes até esquecerem a chuva e todos os percalços da noite.

Harmonia e Samba

Quem comandou a noite e convocou os componentes a ensaiar foi o intérprete Wantuir que agitou a quadra cantando trechos do samba à capela para animar o público a se juntar todo no centro da quadra por volta das 22h. Um show à parte, Wantuir tem uma voz com personalidade, marcante, casou o seu ótimo carro de som, bem harmônico com o samba e a bateria de mestre Casagrande.

Os diretores de harmonia presentes organizaram muito bem os componentes chamando-os a se formar na quadra, ala por ala, tudo com muita disciplina, marca da escola. O canto foi forte e animado, principalmente, no refrão em que os componentes explodiam com a empolgação. Mas Wantuir os alertou sobre alguns erros que ainda estão acontecendo, de pessoas que continuam errando a letra ou cantando partes do samba “para baixo”, mas que devem ser entoadas “para cima” e vice-versa. O momento de ajustes é esse e não se pode deixar passar nenhum detalhe, necessária colocação do intérprete, que disse ter vivido mais um ensaio animado com os componentes.

“Hoje foi bem atípico mas a gente está onde o povo está, não é? Hoje foi alegre,  envolvente e aguerrido. E é isso o que precisamos na Avenida”, declarou Wantuir.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

O primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira da Unidos da Tijuca, Raphaela Caboclo e Alex Marcelino, não esteve presente, mas a responsabilidade de bailar e abrilhantar a noite ficou com o segundo casal Matheus e Lorrane Lemos. Ambos representaram com nível, alegria e muita empolgação, animando o público e os componentes através de uma apresentação bonita, técnica e muito profissional.

Bateria

Com uma quantidade reduzida de ritmistas devido ao temporal no Rio, a Pura Cadência de mestre Casagrande já mostra que é excelente e que os elogios que recebe no mundo do samba não são em vão. O que se viu foram os desenhos de cada instrumento muito bem já separados e decorados, executados, sem dúvida, com muita qualidade devido aos parâmetros de exigência que o mestre Casagrande adota dentro de sua bateria.

A presença da rainha Lexa foi um dos pontos interessantes da noite, animando o público com sua empolgação, sambando, esbanjando carisma e com muito envolvimento com a comunidade, parece já estar em casa. Alguns naipes da bateria estavam com mais e outros com menos ritmistas, dependendo dos que iam chegando, o treino foi válido para quem já estava lá e Casagrande ressalta que não se pode perder nenhum ensaio logo nessa reta final e que ter esse foi importante para a escola:

“Choveu muito no Rio de Janeiro e quero agradecer o pessoal da bateria que veio hoje e todos os componentes de alas, mesmo com a dificuldade. Mas valeu sim, é sempre bom ensaiar a escola, falta pouco e perder um dia de ensaio já é muita coisa para uma escola. Creio que hoje foi valioso e muito bom para todos nós”, disse.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui