A ala das baianas da Mocidade Independente de Padre Miguel presta homenagem a todas as ialorixás – as mães de Santos, sacerdotisas dos terreiros.

Em entrevista ao CARNAVALESCO, Tia Nilda, responsável pela ala há tantos anos e referência na escola, contou o que achou da escolha do enredo da Mocidade para esse carnaval.

“Esse enredo é maravilhoso, é de alma. As pessoas precisam aprender a respeitar as religiões alheias. Eu não sou macumbeira, sou espírita do Candomblé, e com muita honra”, desabafou.

“Estou muito agradecida ao nosso Pai maior por estarmos de volta depois desses dois anos. Já tomei remédio, já me tremi, estou realmente muito emocionada. Quantos se foram não é mesmo? Vocês não medem o sentimento de ter sobrevivido a isso tudo”, concluiu emocionada.

A baiana Isabel Miguel, desfilante da escola há mais de 20 anos, afirmou ter gostado da fantasia, apesar de não ser tão leve.

“Esse ano não está tão leve não, não vou mentir. Mas independente disso, está linda e ideal para uma boa evolução na Avenida”.

“Eu amei esse enredo, é a cara da escola. Já chorei muito hoje, estar de volta era tudo que eu queria, a saudade foi de apertar o coração. Mesmo com os tempos difíceis, foi lindo demais ver todo mundo se reencontrando e dando a vida pela escola que a gente tanto ama e defende todos os anos”, contou a baiana com 22 anos de escola Nilda Barra da Silva.

Comentários