A Unidos da Tijuca anunciou através de suas redes sociais a contratação do seu novo casal de mestre-sala e porta-bandeira. A escola contratou Phelipe Lemos, que estava na União da Ilha, e, Denadir Garcia, que desfilou pela Vila Isabel em 2020. Ele garante que o casal irá se preparar para surpreender a todos que não imaginavam na formação da dupla na Unidos da Tijuca.

“Somos um casal inimaginável. Isso é bom, porque iremos trabalhar pra surpreender a todo mundo do samba. Já conheço a Denadir há muito tempo, nós somos amigos de longa data. Eu admiro muito a dança dela, estou feliz e espero transmitir a mesma energia que temos na amizade, em nossa dança”, explicou Phelipe.

Phelipe dançava com Dandara Ventapane desde 2016, quando defenderam o pavilhão da Vila Isabel e posteriormente na União da Ilha. O casal tinha uma nítida sintonia, mas resolveu seguir caminhos diferentes. O mestre-sala explicou que apesar do desgaste não existe mágoa.

“Infelizmente, a União da Ilha fez um desfile complicado, merecíamos um desfile melhor, mas não deu certo. O motivo da minha saída da escola foi apenas pensando em mim e na projeção da minha carreira. Foi uma decisão tranquila, eu e a Dandara estávamos estudando as propostas e resolvemos escolher o que era melhor para cada um. A relação de um casal de mestre-sala e porta-bandeira é como um casamento e como em toda relação houve um desgaste, mas seguimos sem nenhum ressentimentos”, disse.

Em 2019, Denadir conseguiu a nota máxima com a Vila, porém não obteve o mesmo resultado neste carnaval. Apesar disso, a porta-bandeira disse que não esperava a demissão da escola do bairro de Noel.

“Eu fui pega de surpresa com a saída da Vila, independente de nota, eu e o Raphael sabemos que o trabalho foi muito bem executado. Foram três carnavais a Vila e a gente não contava com essa mudança mas respeito. O sentimento que fica é de gratidão, carinho, respeito e fica uma saudade imensa pois a comunidade me abraçou de uma maneira que me deixou muito à vontade e isso refletiu positivamente na minha dança”.

A porta-bandeira explicou que recebeu o convite da Tijuca e decidiu optar por seguir um novo caminho.

“Apesar de todo entrosamento que eu tinha com o Raphael, que é meu amigo de longa data, eu recebi o convite da Unidos da Tijuca e eu apreciei esse novo desafio. Estava recentemente fora da Vila Isabel e eu conversei com o Raphael e ele entendeu. A Unidos da Tijuca é uma escola que eu tenho muito carinho, consideração e o Phelipe é um amigo de muitos anos. Resolvemos firmar essa nova parceria”, afirmou Denadir.

Casal ciente da responsabilidade de defender o pavilhão tijucano

O casal afirmou estar esperando a situação da pandemia do Coronavírus melhorar para pensar nos ensaios visando o desfile de 2021.

“Devido a essa pandemia, estamos apenas estudando os vídeos um do outro, de carnavais antigos, e, agora com a divulgação das justificativas, estamos analisando tudo, mas não começamos de fato os ensaios”, disse o mestre-sala.

Phelipe e Denadir estão confiantes e falaram da responsabilidade de defenderem o pavilhão da Unidos da Tijuca.

“É sempre um desafio defender um pavilhão até porque é um quesito muito desvalorizado dentro do carnaval, mesmo sendo o que tem mais responsabilidade dentro de uma escola. Não tirando a importância dos outros, mas a diferença é que os outros quesitos são coletivos, várias pessoas trabalhando para defender. O mestre-sala e a porta-bandeira são os dois apenas, a responsabilidade é grande, mas não fugimos dela. É um desafio e vamos fazer de tudo para trazer essa nota para Tijuca, a escola está confiando muito na gente e não vamos decepcionar”, explicou Denadir.

“Defender a Unidos da Tijuca é uma responsabilidade enorme, mas estou preparado para assumir esse pavilhão e lutar para conquistar as notas que a Tijuca precisa para voltar a brigar pelo título”, comentou o mestre-sala.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui