Uma grande apresentação da bateria Pura Cadência de Mestre Casagrande. Houve uma exemplar afinação de surdos, amparando musicalmente os demais instrumentos, onde se destacaram o swing envolvente dos surdos de terceira, além da fabulosa caixa de guerra tijucana. As caixas da bateria da Tijuca, com toque uniforme e uníssono, constituem uma base rítmica que preenchem por completo o trabalho acima da média da cozinha da bateria da Unidos da Tijuca. O acompanhamento das peças leves se manteve sólido durante toda pista. Uma ala de chocalhos apresentando valor sonoro com toque preciso de volume elevado. A ala de tamborins tocou com firmeza, executando o desenho simples de forma coesa e obtendo um acrescento musical notável ao ritmo.

O carreteiro dos tamborins da Tijuca engloba um toque identitário que mescla os movimentos de 2 x 1 e 3 x 1. Essa união ajuda no ressoar das caixas, sempre consistentes da bateria da Tijuca. A paradinha da cabeça do samba apresentou uma musicalidade fluída, com um belo arranjo musical. Foi possível notar os tamborins entrando no corredor da bateria, para auxiliar a retomada do ritmo em sua plena síncope na parte de trás do ritmo. As execuções das paradinhas nos módulos de julgadores foi correta, não havendo qualquer problema sonoro evidenciado na pista de desfile.

A bateria de Mestre Casão se apresentou com destaque no primeiro módulo de julgadores, de cabine dupla. Com direito à reconhecimento dos jurados com notórios aplausos. A exibição na última cabine dupla foi simplesmente apoteótica, tendo levado o público ao delírio, assim como encantado os julgadores.

Comentários