O clima na Unidos de Vila Isabel ainda é de indignação pelo resultado do Carnaval 2020. A escola fez um grande desfile, saiu do Sambódromo com a certeza de um grande resultado e acabou terminando em um inexplicável oitavo lugar. Fora das campeãs, apensar do ótimo rendimento em sua harmonia, bateria, evolução, alegorias e fantasias, a azul e branco levanta a cabeça e começa a pensar no desfile do ano que vem. Em entrevista ao site CARNAVALESCO, o vice-presidente Luiz Guimarães fala de diversos assuntos, entre eles, a escolha do enredo (Martinho da Vila, anunciado nesta segunda no jornal O Globo), e pede mudanças na forma de condução do curso de jurados feito pela Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa).

Sentimento que fica após a apuração de 2020

“É o sentimento de frustração e não sei nem explicar na verdade. Com todo respeito, eu dava como certa a volta nas campeãs pela excelência do desfile. Minha briga era para título. Ficar em oitavo… não consegui buscar fundamento para isso. Samba e enredo era aceitável ser penalizado, mas outros quesitos não consigo entender. Evolução, harmonia, fantasias e alegorias não tem como entender perder décimos. Vejo rigidez no julgamento com a Vila que não teve com outras escolas. Não sei se teve maldade. Certamente teve um julgamento completamente diferente com a Unidos de Vila Isabel”.

Repercussão no pós desfile de 2020

“Procuro me informar de tudo, li todos os sites especializados, o público em geral, a transmissão da TV Globo, vi o desfile, revi, e todo mundo falando muito bem. Se ano passado não tivemos toda essa repercussão e ficamos em terceiro a gente esperava o título para 2020. Estou procurando digerir o que vai ser muito difícil. Eu tenho amor muito grande pela Vila e consigo separar bem quando a gente erra e acerta. Esse ano não consigo ver desfile para oitavo no lugar. Não consigo entender e vai ser complicado aceitar”.

Balanço geral dos desfiles de 2020

“O nível dos desfiles de 2020 foi muito mais forte que em 2019. A Mangueira, por exemplo, esteticamente foi muito mais forte que ano passado. Achei muito justo o título da Viradouro e o vice da Grande Rio. Além disso, a volta da Imperatriz vem para somar e que faz carnaval. Já temos a promessa de um grande carnaval”.

O que seu pai (Capitão Guimarães) achou do resultado da Vila?

“Ele nem veio nas campeãs. Está bem chateado. Ele vê erros onde não vi, mas não viu a Vila em oitavo. Isso tudo nos espanta demais. Ninguém conseguiu entender esse julgamento”.

Qual sua análise quando falam que a Vila é punida por enredos e desfiles conservadores?

“De forma alguma aceito isso. Se entrar com esse pensamento é melhor nem fazer carnaval. Cada escola tem sua administração. O samba não pode ser pré-julgado e o desfile acontece na Sapucaí. Quesitos que a gente estava superior fomos julgados de forma igual e quesitos que estávamos inferiores foram muito rígidos com a gente. A gente precisa fazer sempre carnaval muito bem para ganhar e outras podem fazer apenas um bom carnaval para vencer”.

Impacto no orçamento não voltar nas campeãs

“A gente já contava com isso no orçamento e vamos ter que dar um jeito. São R$ 500 mil ou R$ 600 mil que atrapalham bastante. Já fizemos um reunião para planejarmos isso”.

Opinião sobre o curso de jurados da Liesa

“Os jurados precisam de um preparo melhor durante o ano todo. Não pode ser só faltando 20 dias que são divulgados os nomes dos julgadores. Não falo que são desqualificados. As escolas precisam ter conhecimento de cada jurado e chamar os responsáveis de cada quesito para conhecerem os projetos. Eles (julgadores) precisam visitar os barracões, não vejo problema de irem nos ensaios, a Liga pode enviar dois dirigentes na visita para ter neutralidade, tem que ter estudo das notas, a explicação oral deles, além dos textos das justificativas. O treinamento tem que acontecer durante o ano todo”.

Futuro da escola em 2021

“Renovamos com o carnavalesco Edson Pereira. Em cada quesito estamos fazendo nossa análise. O trabalho dele é excepcional. Voltamos a defender com força todos os quesitos. Nossa bateria veio muito bem, comissão de frente, carro de som. Vamos continuar dando o rumo certo para o ano que vem”.

Enredo para 2021

“É um enredo que a comunidade pedia. O momento dele em vida é agora. O enredo é forte. A escola vai abraçar. Já conversamos com ele. É o enredo que meu pai quer e chegamos no consenso. O momento é esse”.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui