Por Matheus Mattos

A Mocidade Alegre foi a oitava agremiação a realizar a gravação ao vivo do CD oficial do Carnaval 2020. Um ponto de destaque da faixa é o hino cantado durante o alusivo, servindo também como encaixe para parte final do samba. A gravação da escola foi rápida e objetiva, e o coral também se destacou pela força.

A bateria Ritmo Puro ousou nas bossas e arranjos, seguindo a melodia e com trechos pra comunidade se destacar. Na primeira passagem da estrofe, apenas o timbau toca, chamando também a bateria para o segundo refrão. Mestre Sombra revelou ao CARNAVALESCO o sentimento na gravação e brincou com nervosismo.

“Muita emoção. É um trabalho que vai divulgar o nome da escola, a expectativa é grande que o resultado seja o melhor possível, a adrenalina a milhão. Eu tenho um pouquinho de experiência, não balança muito, mas ainda balança (risos)”.

Sombra também contou que bateria buscou dinâmicas diferentes para a gravação.

“A gente já tava ensaiando as bossas na quadra, o samba estava praticamente pronto, ele ganhou e nós já começamos a ensaiar. E aqui, nós fizemos coisas pontuais que o samba pede. Buscamos fazer coisas diferentes dos outros anos, demos uma roupagem diferente, entrando no samba em locais não de costume, fora de cabeça de samba, fora de refrão, uma dinâmica diferente. Trouxemos o samba no andamento de 146 BPM (batidas por minuto), como é uma gravação não tem a necessidade de ser tão agressivo”.

O samba é aguerrido e contém trechos de explosão, bem cumpridos pelos componentes que cantavam. O intérprete Igor Sorriso participou ativamente da gravação, principalmente, ao ajudar o coral. Ele se mostrou satisfeito com o resultado”.

“É um samba que a comunidade abraçou. Nós estávamos com muita expectativa, e fluiu muito bem, vai ficar na história da Mocidade Alegre com toda certeza. O tom do samba ficou um Ré menor e o tom do samba é 146, com pegada, de acordo com o que a gente ensaiou”.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui