O anúncio do prefeito Eduardo Paes cancelando o desfile de julho era óbvio. nunca teve condição, e piorou com as trapalhadas do desgoverno Bolsonaro na vacinação. Melhor cancelar agora, antes que as escolas, quase todas endividadas, comecem o trabalho mais intenso nos barracões.

Agora, a tribo do samba está diante do desafio de sobreviver mais um ano sem a festa. Primeira providência: cobrar do prefeito o entusiasmado apoio na campanha de 2020. A cidade precisa DESEMBOLSAR DINHEIRO para socorrer os sambistas.

Ao longo da sua existência, o carnaval fez muito mais pelo rio do que o inverso. As escolas existem APESAR da sociedade preconceituosa e excludente que as cerca – e são fundamentais na construção da melhor imagem carioca. Tá na hora de retribuir.

E o que as escolas podem criar pela própria sobrevivência?? Pouco, diante da fragilidade e do isolamento em que se enfiaram ao longo dos anos. Mas dá pra usar a tecnologia e a paixão da tribo do samba para atrair patrocinadores já parceiros do setor. Não resolve, mas ajuda…

Comentários