Por Gabriel Leal

Quinta escola a desfilar, nesta segunda-feira, o Paraíso do Tuiuti investiu em tema crítico, ácido e de exaltação ao nordeste brasileiro, com o enredo “O Salvador da Pátria” do carnavalesco Jack Vasconcelos.

A escola optou por uma abertura pautada em cores vibrantes, característica das artes plásticas nordestinas. A sensação de alegria provocada pelas cores quentes parece ter contagiado além do público, os próprios componentes da escola. O Tuiuti organizou sua concentração com tranquilidade e muita empolgação minutos antes de entrar na Avenida.

Logo no primeiro setor, a escola trouxe sua ala das baianas, com a fantasia “Mães do alagadiço”. O figurino predominantemente amarelo e rosa fazia alusão às saias de renda e bordado tradicionais do Nordeste e era composto também por um boneco feito de tecido, simbolizando um bebê. Quase todas as baianas da ala ao receberem a fantasia na concentração teciam elogios a leveza do figurino.

Como é de costume no carnaval carioca, grande parte dos componentes desfilam em mais de uma escola de samba por noite. As baianas que desfilaram em mais de uma agremiação por tudo o carnaval afirmaram categoricamente que o figurino delas no Tuiuti era o mais leve da noite.

“Desfilei na Vila Isabel, Viradouro, Cubango, Porto da Pedra, Sossego, Alegria da zona Sul e amanhã ainda tem carnaval de Niterói. Já estou sem voz, peguei muita chuva, tive até febre, mas tomei remédio e estou aqui. A fantasia está linda. Tem um bebê pretinho que é a coisa mais linda. Tá muito leve, dá para brincar bastante”, confessou a Creusa Xavier, conhecida na ala somente como Xavier, pouco antes do desfile começar.

Além do fator plástico, o significado da fantasia em si também cativou as desfilantes. A fantasia simbolizava mulheres que eram retidas em uma espécie de campo de concentração, na região do Alagadiço em Fortaleza. Dirce falou sobre a importância de resgatar a força da mulher e elogiou o figurino.

“Essa fantasia aqui está bem leve, uma maravilha. Desfilamos na Vila e na Viradouro e tava bem pesadinha. A situação já foi mais precária para as mulheres. Essas mulheres eram muito guerreiras, assim como nós também somos – concluiu a moradora de Niterói.

Antes mesmo do desfile começar, era possível notar o orgulho dos componentes pela escola e a vontade de vencer, muito disso se deve ao vice-campeonato, no ano passado. Torcedora do Tuiuti, a manicure Márcia Helena celebrou a colocação em 2018 e sonha com o campeonato esse ano.

“Desfilo no Tuiuti há 5 anos. Essa é minha escola do coração. Amo carnaval. Amo o Tuiuti. Não entendo muito essa coisa de enredo, mas gostei de tudo o que eu vi. O importante é estar aqui com a escola do coração. Estou confiante!”, vibrou a moradora da Tijuca.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui