A Liesa sorteia nesta quinta a ordem de desfiles do Grupo Especial para o Carnaval 2020. Os sambistas sempre ficam atentos sobre o dia de apresentação de suas escolas. Mas e com relação ao lado de concentração? O que para muita gente é apenas uma contingência, para os dirigentes pode ser decisivo na formulação do projeto logístico na avenida.

O lado é definido da seguinte forma: as escolas sorteadas nas posições pares em cada dia se concentram do lado do edifício Balança Mas Não Cai, próximo à estação Central do Brasil do metrô. As escolas que desfilam nas posições ímpares se concentram do lado oposto, próximo ao prédio dos Correios, mais perto da estação Praça Onze do metrô.

Para o diretor de carnaval da Beija-Flor, Dudu Azevedo, o lado de concentração pode não ser decisivo, mas ele influencia a estratégia de desfile de cada agremiação. O dirigente aponta que prefere ficar do lado dos Correios. Dudu aponta os casos de assalto como um fator prejudicial no lado do Balança e ainda avalia que fechar o carnaval também tem influência no projeto.

“É importante o lado de concentração sim, cada lado possui uma estratégia diferente. Eu prefiro o lado dos Correios, mas já me dei muito bem com o Balança, é uma concentração mais tranquila, porém a violência ali é meio complicada. Mas para as alegorias é melhor ficar nos Correios. Desfilar na segunda fica mais vivo na memória do jurado, no domingo tem que buscar as anotações. O cronograma é alterado devido à iluminação, assim como o projeto e a estratégia são influenciados”, destaca.

Para Júnior Escafura, da Portela, a definição do lado de concentração é um fator decisivo na construção do projeto da escola. Ele pondera, ainda, que desfilar no domingo é prejudicial pois os jurados acessam informações que podem influenciar na hora de aplicar as notas para as escolas da primeira noite.

“Eu acho que o lado tem influência, pois você projeta o seu carnaval de acordo com seu lado, precisa repensar as engrenagens se estiver do lado do balança devido ao viaduto. Prefiro os Correios para montar a escola, o espaço é melhor, depende do projeto. No domingo o desfile será de manhã. Você precisa repensar de acordo com a luz do dia. Seis escolas você corre o risco também. Eu acho que o fechamento de notas prejudica um pouco as escolas de domingo. O julgador acessa as informações e vai consertar alguma coisa, isso influencia. Porém quando é um desfile arrebatador não tem como ser diferente, caso da Viradouro desse ano”, opina.

Thiago Monteiro, da Grande Rio, vai de encontro aos colegas. Enquanto a maioria prefere se concentrar nos Correios, ele opta pelo Balança Mas Não Cai.

“Eu acho que cada lado tem uma particularidade. Eu prefiro o Balança, pois preciso montar a escola de uma forma mais tranquila. O projeto eu não acredito que sofra assim tanta influência. As escolas já tem expertise suficiente para isso. Eu prefiro a segunda noite, não só pelo fechamento de notas. A segunda te traz outro clima, tem a questão do cansaço do julgador. Depois da 13ª escola seu desgaste físico já é maior. É uma série de coisas. Desfilar segunda é muito melhor. Eu adoraria fechar o carnaval, considero uma grande apoteose”, disse.

Comentários