Por Eduardo Fróis. Fotos de Allan Duffes

A União do Parque Curicica, segunda colocada no carnaval passado da Liesb, apostou em um desfile animado sobre a historia de Maria Bonita para tentar retornar a Marquês de Sapucaí em 2021. Quarta escola da noite a passar pela Intendente Magalhães, a Curicica agitou as arquibancadas em meio a chuva fina que começou a cair na avenida. O destaque da apresentação ficou por conta da feliz combinação entre bateria, harmonia e samba-enredo.

Enredo

A União do Parque Curicica trouxe nordestinos ilustres como Padin Ciço, Lampião e Maria Bonita para desfilar o enredo “Fulô de Maria”. Foram muitas as referências ao Nordeste durante o desfile, desde a vegetação, passando o artesanato, pela fé e pela história do povo dessa região. Os elementos visuais da União eram de fácil compreensão e adequação ao tema proposto para o carnaval de 2020.

Samba-Enredo

A entidade da Zona Oeste trouxe o sertão nordestino para Estrada Intendente Magalhães, embalada por um samba-enredo animado e irreverente. A letra possuía diversas passagens que remetem o dialeto falado no Nordeste do país, como “vamo simbora”. A melodia possibilitava que a bateria da escola, junto ao time de canto, fizesse frases rítmicas inspiradas na rica e diversa música nordestina.

Comissão de frente

A Comissão de frente da Curicica abriu o desfile em tons negros e prateados, representando a música “Olê mulher rendeira”, que Lampião compôs para sua amada Maria Bonita. Haviam desenhos de flores em fundo preto, podendo se notar uma atenção especial a maquiagem das meninas. Eram 10 bailarinas representando as rendas, mais a pivô da coreografia, que interpretava a própria Maria Bonita. Pode-se ver passos de xaxado, forró e balé, intercalando movimentos fortes com momentos de maior leveza.

Mestre-sala e Porta-bandeira

O casal de mestre-sala e porta-bandeira vestia uma fantasia com predomínio da cor preta e detalhes prateados no acabamento da roupa. A indumentária foi inspirada na arte e cultura da região Nordeste. Jessica e Andrey realizaram um bailado leve, seguro e sincronizado, apresentando o pavilhão da Curicica e fazendo passos que lembravam toda a ginga das danças nordestinas.

Alegorias e Adereços

A União do Parque Curicica trouxe dois carros alegóricos de concepção simples, porém bem acabados para apresentar o enredo “Fulo de Maria”. O abre-alas veio nas cores preto, branco e prata, combinando com as tonalidades do primeiro setor da escola. Já a segunda alegoria abusou do dourado, com os figurinos dos destaques em cores lilás e verde. Nas laterais, esculturas em tom marrom escuro faziam alusão a arte nordestina.

Harmonia

O canto da Curicica foi um dos destaques de sua apresentação, se mantendo constante desde a largada na Intendente Magalhães. Os componentes das alas e alegorias da União mostraram estar com o samba na ponta da língua, empolgados com a missão de levar a escola a desfilar novamente na Sapucaí.

Fantasias

O conjunto visual das fantasias da Curica estava muito colorido, com um bom acabamento e de fácil leitura do enredo. As baianas vieram de branco e vermelho, com um detalhe amarelo na cabeça, representando a flor do mandacaru. Máscaras e adereços de mão faziam parte do figurino de algumas alas. A roupa da bateria era toda florida, com desenhos de cordel.

Evolução

O desfile da União do Parque Curicica foi coeso em sua evolução, do início ao fim do desfile, passando tranquilamente pela Intendente. A escola da Zona Oeste desfilou sem maiores problemas de evolução, com alas compactas que vieram dançando e brincando ao som da bateria de mestre Yan Pac Man. A apresentação encerrou com 43 minutos.

Bateria

O coração da escola de Curicica foi um dos destaques do desfile, pulsando forte na avenida. A batucada passou com um bom andamento, mantendo a pressão e a cadência ao longo de toda a apresentação. Uma bossa da bateria inspirada nos ritmos nordestinos levantou o público que os acompanhava de perto na Intendente Magalhães.

Comentários