Compositores da Beija-Flor de Nilópolis inscreveram 30 obras na disputa de sambas-enredo da escola que começa nesta quinta-feira, rumo ao próximo Carnaval. As letras das canções foram entregues à azul e branco na segunda-feira, e serão apresentadas ao vivo na quadra e gravadas para serem posteriormente exibidas nas redes sociais da agremiação.

O processo de inscrição sem gravação em estúdio e o registro das apresentações ao vivo é parte do novo modelo de disputa de samba da Beija-Flor, movido pelos protocolos de distanciamento social necessários para conter a pandemia de Covid-19 e pelo esforço da diretoria em desenvolver a melhor maneira de buscar um bom samba. A trilha sonora escolhida irá embalar o enredo “Empretecer o pensamento é ouvir a voz da Beija-Flor”, uma construção coletiva da comunidade nilopolitana a ser desenvolvida pelo carnavalesco Alexandre Louzada e artistas colaboradores.

Para o diretor de carnaval Dudu Azevedo, a safra de sambas da “Deusa da Passarela” evidencia o êxito da gestão da instituição e a força de seus componentes:

— Os pilares de uma escola de samba são a condução de seus líderes e a força dos segmentos. Mais do que nunca, a inscrição de sambas da Beija-Flor demonstrou a força dessas bases da escola — afirma Azevedo, completando: — A ala de compositores foi chamada para fazer um samba sobre negritude, da essência da escola, e tivemos muito mais sambas inscritos do que no ano passado. São letras maravilhosas, belíssimas nesse grande concursos que começa quinta. Mais do que nunca, a ala de compositores está sendo valorizada e mostra sua força.

Programada para esta quinta, a primeira rodada de apresentações dos sambas não será aberta ao público, por causa da pandemia. Vídeos com as obras serão publicados em breve nas redes sociais da Beija-Flor. A previsão é que o intérprete Neguinho da Beija-Flor grave mais adiante, as dez obras que restarem na competição após os cortes. Eles serão iniciados já nesta semana.

Comentários