Uma imagem do presidente Jair Bolsonaro com a camisa do enredo da Beija-Flor de Nilópolis para o Carnaval de 2022, “Empretecer o pensamento é ouvir a voz da Beija-Flor”, mexeu com os sambistas nas redes sociais. No país polarizado, houve elogios e reclamações. A escola informou que “não enviou camisetas da escola de samba a autoridades públicas, uma vez que as atividades da instituição são exclusivamente culturais”.

Veja abaixo a nota completa da Beija-Flor:

“A Beija-Flor de Nilópolis informa sua legião de apaixonados que não enviou camisetas da escola de samba a autoridades públicas, uma vez que as atividades da instituição são exclusivamente culturais. Imagens com teor político não têm caráter oficial da instituição. Destacamos ainda a nossa tradição de respeito máximo às lutas por igualdade entre os brasileiros, de todas etnias e pluralidades, conforme reforçado pelo nosso enredo “Empretecer o pensamento é ouvir a voz da Beija-Flor”.

Gabriel David, empresário e conselheiro da escola, também se pronunciou nas redes sociais. Veja o post abaixo:

Em 2003, a Beija-Flor foi campeã com o enredo “O Povo Conta a sua História: Saco Vazio Não Pára em Pé. A Mão que Faz a Guerra Faz a Paz”. Na época, o presidente Lula foi homenageado na última alegoria da escola e até recebeu uma camisa alusiva ao enredo. Depois, a amizade entre o ex-presidente e o intérprete Neguinho da Beija-Flor terminou. O cantor explicou o caso em uma entrevista no programa “Conversa Com Bial”, feita em 2019.

“O Boca Nervosa fez uma sátira e eu gostei. Cantei junto com ele e tinha uma sobrinha com celular gravando. Quando foi 5h30, o celular toca e era a Benedita da Silva: ‘O que você arrumou com o Lula”. Após isso, Neguinho disse que Lula não aceitou as desculpas pelo vídeo.

Comentários