Quinta escola a desfilar no último dia de desfiles do Grupo Especial, o Acadêmicos do Grande Rio apresentou o enredo “Fala Majeté: sete chaves de Exu”. A reportagem do CARNAVALESCO esteve disposta nos módulos de julgamento do Sambódromo e realizou uma análise da apresentação da agremiação em oito quesitos, exceto bateria.

Comissão de Frente
Abrindo o desfile mais arrebatador da noite, um desfile histórico pra Sapucaí, a comissão de frente da grande Rio, sob a batuta dos grandes Hélio e Beth Bejani, trouxe Exu em toda a sua essência. Uma apresentação arrebatadora, extremamente bem executada, com um ótimo uso de todos os elementos cenográficos. Uma obra-prima do começou ao fim que terminou com Exu abraçando o mundo.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira
O casal de mestre-sala e porta-bandeira da Grande Rio, Daniel Werneck e Taciana Couto, mostraram que apesar da pouca idade, têm gabarito para conduzir o pavilhão da Grande Rio. Uma dança de extrema beleza e sincronia, com um pequeno erro no primeiro modulo, quando houve um pequeno esbarrão entre eles, além de penas da fantasia de Daniel terem se desprendido durante a apresentação. Na coreografia, a união do tradicional com o moderno, com passos afro inseridos na dança e bem executados.

Harmonia
O canto da escola estava simplesmente incrível, com muita força e vibração. Uma das escolas que mais cantou, que mais arrebatou a avenida, empolgando desde os setores mais afastados a camarotes, em que cada vez mais pessoas saiam para acompanhar – mostrando que o samba conseguiu chegar em todas as partes da avenida. Entre os que importam para o quesito propriamente dito, os componentes desfilantes da escola, o samba praticamente era gritado e não apenas cantado de tão forte o canto da escola, com uma intensidade que ia de ala em ala, com absolutamente todas cantando muito forte.

Enredo
Leonardo Bora e Gabriel Haddad, auxiliados por um grupo na pesquisa e elaboração do enredo, mostraram que são carnavalescos dos melhores da atualidade. A concepção e a execução do enredo proposto, em todos os seus pontos, foram simplesmente impecáveis, não só com claro entendimento como por sua riqueza de detalhes, de simplicidade aliada a um profundo senso de pesquisa, de concepção bem elaborada.

Evolução
Em um ano em que o destaque negativo ficou por conta de repetidos erros em diversas escolas na evolução, a Grande Rio despontou com uma evolução perfeita, cada vez mais aproximando a escola da briga pelo título. Um desfile impecável e extremamente harmônico. Componentes desfilando com alegria, com leveza, com muita organização.

Samba
O samba da parceria de Gustavo Clarão foi majestosamente executado pelo carro de som. A parceria carro de som, apoios, Evandro Malandro, mestre Fafa, juntos, fez da escola aquela com um dos melhores e mais bem cantados sambas da noite.

Fantasias
Sem nenhuma dúvida, a parte estética foi o grande destaque da noite. Cada fantasia e carro que entravam na avenida faziam com que as pessoas se deparassem com verdadeiras obras-primas, em profundidade e elegância, um banho de cultura e estética. Um verdadeiro abuso de criatividade. Tudo com extremo bom gosto, com um destaque especial para a maravilhosa ala das baianas.

Alegorias
De longe as alegorias mais bonitas dentre todas as escolas, com um trabalho absurdamente minucioso em cada detalhe. Chamava atenção tanto cuidado com cada particularidade retratada. Um show de beleza, impecável, mostrando ainda como aproveitar cada material e tornar ele uma obra de luxo. Quando já estava bom, vinha um carro mais impressionante que o anterior. Tudo de muito bom gosto. Chama atenção como os carros tinham muitos elementos, mas nenhum inserido de forma gratuita, sem propósito. Destaque para o imponente abre-alas em cores quentes.

Comentários