Por Philipe Rabelo. Fotos de Fred Pontes/Divulgação

Maturidade é a palavra que parece melhor definir o quarto ano de Sapucaí do Camarote do King. Sem a necessidade de novas obras, ou aumento de espaço, a novidade é o casamento entre o camarote e a sambista Adriana Bombom, musa escolhida para 2020. Ela volta para Sapucaí como destaque. Além de musa do King, também desfilará pela Grande Rio, representando Mercedes Baptista, a primeira bailarina negra do Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Nos últimos nove anos, ela só acompanhou o Carnaval do lado da imprensa, como apresentadora da RedeTV, mas ao longo de sua trajetória já foi Rainha da Bateria da Portela por 10 anos, durante outros 3 reinou na Bateria de Vila Isabel. Em São Paulo, veio à frente da Bateria da Tom Maior, também por 9 anos.

Como toda essa experiência, ela foi escolhida pela empresária Lilian Martins, irmã de João King. Ela que comanda a organização do camarote, controles de público, meeting point e, nesse ano também foi ela quem definiu Bombom para o cargo de Musa.

“Ela é uma querida, o carnaval em pessoa, as outras musas que já tivemos eram tão belas quanto a Bombom, mas eram mais jovens e a gente já está num momento mais maduro. Bombom é da minha família, ela é comadre do meu irmão, eu a conheço a vida inteira e desde o surgimento do camarote eu sempre quis convidá-la, mas nunca achei que ela fosse aceitar, mas resolvi tentar para 2020, como o João estava viajando, eu aproveitei e quando ele voltou, já tinha musa definida”, explicou.

Bombom chegou a se emocionar com a fala do Carnavalesco Cahê Rodrigues, que também esteve na coletiva de lançamento do Camarote. Ele afirmou que Bombom é uma mulher do samba, consagrada no carnaval, tanto carioca, como paulista e, por isso, reforça a posição do Camarote do King em se firmar como um camarote para os sambistas.

“Particularmente, eu me sinto muito bem no King, o espaço é ótimo, me sinto bem ali dentro. De coração, é um camarote que eu me identifiquei, me sinto bem, passo quase o carnaval inteiro ali dentro, é um amigo querido, é um cara que eu sei da paixão dele pelo carnaval e isso me contagia”, contou.

Quem chegou ao camarote no ano passado se deparou com um trono no King’s Hall, ele foi um presente oferecido e produzido por Cahê. O Carnavalesco garante que em 2020 o trono permanece, mas será repaginado.

Desde 2017, o camarote sempre anuncia mudanças estruturais para os carnavais seguintes. Começou com 24 frisas em 2017, no ano seguinte aumentou em 100% o espaço. A boate até 2018 era no terceiro andar, no ano passado foi para o primeiro e também cresceu. Os banheiros começaram químicos e se tornaram de alvenaria, o piso deixou de ser vinil e virou porcelanato. Para 2020 não há novas obras, inclusive, por questões de interdições do Sambódromo, o camarote fará uma reedição do tema Veneza, que foi soberano em 2019. Esse ano as novidades serão apenas alguns ajustes.

“Continuamos parceiros do Grupo Petrópolis, mas a cerveja oficial não é mais a Itaipava, mas sim a Petra. Teremos Go Draft, Itaipava Premium à disposição dos nossos clientes. Também fizemos um ajuste pequeno na porta da boate, deixamos um pouco maior para deixar mais confortável o trânsito do pessoal. Não tinha mais obra pra fazer, chega uma hora que acaba. Só se eu crescer o camarote e eu ainda não pretendo fazer isso. Se eu for adicionar mais frisas, eu preciso crescer área interna, banheiro, buffet e por aí vai. A minha preocupação é o bem-estar do cliente, eu preciso fidelizar para poder abrir no ano seguinte”, disse.

As atrações para a boate do King em 2020, contam com shows de Belo, Suel, Ludmila, Arlindinho, João Gabriel, Vou Pro Sereno, The Funk, Swing Simpatia, Bloco Cordão da Bola Preta, Chacal do Sax, Seligaê, Juliana Diniz, Dj Tubarão, Dj Marcson Muller, Dj Amanda Shuck, Dj Roger Lyra, Dj Bacalhau, e Dj Quaresma. A novidade está na Festa Flower Power, que vem de Ibiza, trazendo o selo da famosa boate Pacha.

“Vai ser uma festa mais florida, com uma pegada mais interessante e eu estou mais feliz porque eles pediram para vir fazer a festa no camarote. Normalmente a galera pede e a Pacha decide se vai ou não, aqui eles pediram pra vir”, explicou João King.

Lilian também explicou que a prioridade do camarote é atender quem está para ver os desfiles.

“As escolas gastam uma fortuna para colocar o carnaval na Avenida, o camarote gasta uma grana para dar conforto, comida e bebida de qualidade, espaço agradável, não ter fila, chegar e sair do Sambódromo com agilidade, essas são as minhas prioridades. O cliente que quer exclusivamente ver show, não é no nosso camarote. É diferente da Feijoada do King, que as atrações são o carro-chefe do evento”, rebateu.

João King endossa a fala da irmã e diz que o público do camarote é o público do Carnaval.

“Sair de casa para passar perrengue não dá, tem que ir comer e beber bem, se divertir, e aproveitar o carnaval”, disse. Ele também contou que a mãe, Dona Eliane, será destaque no abre-alas da Estácio. “O barracão está bonito, estamos torcendo para escola seguir no Grupo Especial.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui