O Canal Bis estreia nesta sexta-feira um programa que promete emocionar os apaixonados pelo carnaval carioca. “O Samba Me Criou” é uma série em quatro episódios que homenageia os compositores ligados às escolas de samba – desde os fundadores, do início do século passado, à geração mais recente, surgida nos últimos 20 anos.

Foto: Divulgação

O primeiro programa será dedicado ao Império Serrano. Na semana seguinte, virá o Salgueiro e, na sequência, a Mangueira. O último episódio, exibido no dia 10 de dezembro, vai reverenciar a Portela. A série marca a estreia na direção de Leonardo Bruno, que também assina o roteiro dos episódios.

A proposta da série é desvendar a linhagem de compositores ligada a cada agremiação, observando como essa herança deu frutos, que florescem até hoje. Afinal, a tradição dos poetas surgidos nas rodas da Portela, com forte sotaque rural, tem diferenças marcantes da turma que veio da Mangueira, com sua melancolia melódica. “O Samba Me Criou” reverencia nossos compositores a partir das cores (e sons) que norteiam suas obras.

“No primeiro programa, por exemplo, partimos dos ícones Silas de Oliveira, Mano Décio da Viola e Dona Ivone Lara, mostrando a importância desses três nomes para a música brasileira, com obras que são cantadas em qualquer roda de samba. Em seguida, trazemos a geração que bebeu nessa fonte, com Aluísio Machado, Beto Sem Braço e Arlindo Cruz. Por fim, chegamos a Pretinho da Serrinha e Arlindinho, os sambistas que hoje defendem com muita qualidade a imensa tradição da Serrinha”, explica Leonardo Bruno.

O programa do Salgueiro passa por nomes como Anescarzinho, Noel Rosa de Oliveira, Geraldo Babão, Nei Lopes, Bala e Almir Guineto, chegando a Xande de Pilares e Fred Camacho. No episódio da Mangueira, a narrativa disseca as obras de Cartola, Nelson Cavaquinho, Nelson Sargento, Hélio Turco, Padeirinho e Leci Brandão, trazendo Enzo Belmonte como representante da nova geração. No programa de encerramento, a seleção portelense traz Paulo da Portela, Candeia, Manacéa, Monarco, Paulinho da Viola, Noca da Portela, João Nogueira e Zeca Pagodinho, todos reverenciados pela atual estrela da azul e branco, Teresa Cristina.

Os programas trazem entrevistas com sambistas e especialistas no assunto, como Luiz Antônio Simas, Haroldo Costa, Helena Theodoro, Rachel Valença, Luís Carlos Magalhães, Nilcemar Nogueira e Marília Trindade Barboza, entre outros. Uma rica pesquisa de acervo traz à tona imagens raras de Nelson Cavaquinho no Buraco Quente, Zeca Pagodinho no início de carreira e Leci Brandão cantando em seus primeiros festivais.

“A ideia do programa é perpetuar as obras destes mestres, jogar luz sobre alguns nomes que andavam meio esquecidos e estimular as próximas gerações a perseguirem as linhagens de suas escolas. As agremiações do carnaval carioca têm uma produção musical fantástica e é preciso mostrar isso. Fico muito feliz pelo fato de colocar essa atração no ar pelo Bis, um canal que sempre valorizou a música brasileira”, diz Leonardo.

“O Samba Me Criou” vai ao ar no Bis (canal 620 na NET) sempre às sextas-feiras, a partir das 23h, com reprises nos seguintes horários: sábados, às 13h30m; segundas, à 1h e às 15h; terças, às 6h30m; quartas, às 11h30m; e sextas, às 19h. O programa é a uma produção da Lucky Play Content. Datas de estreia dos episódios: Império Serrano (19/11), Salgueiro (26/11), Mangueira (03/12) e Portela (10/12).

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.