A vice-campeã da Série A, Cubango, aposta novamente em seu samba para realizar o sonho do inédito campeonato no acesso. A verde e branca de Niterói gravou as bases de bateria para sua faixa no CD na Companhia dos Técnicos, em Copacabana. Mídia parceria da Lierj, o site CARNAVALESCO acompanhou os bastidores da gravação da faixa, produzida por Leonardo Bessa.

O intérprete Thiago Britto falou das qualidades so samba e reiterou que a obra deve novamente disputar para ganhar prêmio no carnaval do ano que vem.

“Viemos de um samba premiado em 2019 e acredito que vamos brigar por isso novamente. Quem escolheu esse samba foi a comunidade. A escola canta muito forte. Fizemos uma guia excelente aqui, acho que será uma das grandes faixas do CD. É um dos grandes sambas deste carnaval. E a Cubango vai brigar novamente pelo título”, disse.

Thiaguinho falou sobre ser um cantor branco em uma escola eminentemente negra. Segundo o intérprete existem vários grandes vozes brancas no carnaval que marcaram época.

“Esse lance de cor e raça eu acho que hoje em dia está ultrapassado. A essência da escola é negra mas eu fui abraçado. Tive propostas para sair e o presidente me segurou e também não tenho vontade de deixar a escola. Fico lisonjeado em ser a voz da escola no melhor desfile de sua história. Depois de Luizito, Zé Paulo, Carlinhos de Pilares, acabou essa coisa de que o cantor precisa ser negro e ter aquela voz grave. O carnaval hoje está muito técnico”, opinou.

Considerada uma das melhores baterias da Série A, a Ritmo Folgado terá novamente o comando do mestre Demétrius. Ele explica o andamento adotado junto da produção do CD e a bossa implementada na faixa.

“O andamento foi 140. Eu fiz uma bossa bem simples para dar uma ressalva no refrão de entrada. Fica um silencio com o canto e depois a bateria vira. O samba é muito bom, tem bastante conteúdo musical para a bateria trabalhar, além da parte do desenvolvimento do enredo”, explicou.

Comentários