Por Gustavo Lima. Fotos: Felipe Araújo/Liga-SP

A Unidos de Vila Maria realizou no Anhembi seu primeiro ensaio técnico, na noite deste sábado, visando a preparação para o carnaval de 2020. A escola veio numerosa e mostrou que pode brigar novamente por uma vaga entre as campeãs. Destaque para o ótimo entrosamento entre a bateria e o carro de som, que realizaram várias bossas, interagindo com a arquibancada. O ensaio no geral foi satisfatório, mas ainda cabem ajustes em alguns quesitos.

“O ensaio foi positivo, nós estamos fazendo o ensaio muito perto da virada do ano, então tem muita gente de férias ainda, mas foi um ensaio perfeito, a escola está mostrando a maturidade dela, a força dela. Hoje estamos com roupas normais, estamos ainda esquentando o carnaval, mas queremos essa evolução, ensaio melhorando a cada dia, cada ensaio técnico trazendo o seu grau de evolução para chegarmos bonitos na avenida e com muita alegria”, declarou o presidente Adilson José.

Samba-Enredo

Wander Pires puxou o samba com todo o talento que possui. Novamente, a agremiação aposta em uma obra com melodia para cima e fácil para cantar, o que também facilitou a apresentação do intérprete. Destaque para o refrão do meio, que tem uma coreografia padrão executada por todas as alas.

“A tendência é o carro de som e a bateria se entrosar cada vez mais. O ensaio hoje foi bom, o próximo será melhor e o último será melhor ainda. Eu tenho certeza disso, até
pelo nosso sacrifício e dedicação, é como o presidente fala, o comprometimento de todos os componentes valerá a pena. Nosso samba-enredo para 2020 eu considero um
dos melhores, já está na boca do povo e é uma das melhores gravações”, disse o intérprete Wander Pires.

Bateria

Desde quando chegou na Vila Maria, a bateria do mestre Rodrigo Moleza vem fazendo um ótimo trabalho, deu uma nova cara para a batucada da escola e criou uma identidade no carnaval paulistano, pois quando se fala em Vila Maria, se fala em quão boa são suas exibições. Os ritmistas estão totalmente entrosados no novo regulamento
que prevê mais criatividade, com mais arranjos, características da Cadência da Vila e em 2020 não será diferente.

“O balanço desse ensaio é positivo, a gente ensaia desde junho, mas é muito difícil reunir os 240 na avenida. A gente fala que ensaiar com 80 ou 60 se torna mais fácil com
o trabalho que a gente faz, mas quando nós colocamos 240 na avenida, se torna um pouco mais difícil. Fizemos o que ensaiamos, executamos as cinco paradinhas, somos muito exigentes com questão de execução, afinação e vamos analisar todos os vídeos e fazer uma reunião com a diretoria de bateria para ver o que podemos melhorar nesses 40
dias que faltam. Hoje o carnaval é resolvido no detalhe e essa questão nova do regulamento, que é a questão da performance, a gente já fez a nossa apresentação
pensando nesse balizamento, executando as bossas no campo auditivo dos jurados. O entrosamento com o carro de som nós ensaiamos bastante, o Wander na minha opinião é
o melhor intérprete do carnaval, eu lembro que era moleque e ele já era primeiro intérprete da Mocidade, acho que não tem nenhum intérprete que canta em tão alto nível
há tanto tempo como o Wander”, comentou mestre Moleza, que terá 240 ritmistas pelo segundo ano consecutivo, desta vez representando os guerreiros chineses.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

Apesar de ser a estreia do casal ostentando o primeiro pavilhão da escola, Brunno e Tatiana não se intimidaram e mostraram estar bem entrosados na primeira apresentação
para o público na avenida, parecendo que estão juntos há anos. Não tiraram o sorriso do rosto e mostraram estar muito confiantes para esse novo desafio.

“Quando a bateria subiu, a emoção veio junto, foi muito forte. Ver a escola montada e eu retornando como porta-bandeira oficial, a energia bateu logo de cara. Cada vez que a
gente pisa nesse Anhembi, o frio na barriga é inevitável, mas foi lindo, a escola passou uma energia muito positiva e dá para sentir como a escola está pulsando. Isso tudo serve
como alicerce para termos força e descer essa pista brincando”, declarou a porta-bandeira Tatiana dos Santos.

“Nossa fantasia está quase pronta, sabemos como é, ela é linda, mas o mais importante é que ela ajuda no que a gente quer levar para a avenida, ela não limita nossa dança, não
atrapalha, o carnavalesco pensou com a gente, estamos muito felizes por isso e por tudo que está acontecendo. Você nos entrevistou na quadra e nós estávamos ansiosos por
esse dia, ele aconteceu, nós estamos de alma lavada e com a certeza de que no próximo ensaio será melhor ainda. Para o desfile, vamos passar tranquilos, com o sorriso no
rosto, tentando convencer os jurados que a nota que a gente merece não é nada menos que 10”, disse o mestre-sala Brunno Mathias.

Comissão de Frente

A comissão de frente utilizou as fantasias do desfile do ano passado, talvez, para os integrantes irem se acostumando com o que está por vir. Com uma apresentação teatral
intercalada com coreografia, a ala aparentemente mostrou o que de fato irá apresentar na avenida em seu desfile oficial e não usou nenhum tipo de tripé neste ensaio.

Harmonia

Faltou regularidade para a escola neste quesito, algumas alas cantavam muito, outras tinham muita dificuldade com o samba, e determinados componentes nem cantavam. É
o principal quesito a ser ajustado pela escola. Falta os harmonias e chefes de ala exigirem mais empenho e vibração de seus componentes.

Evolução

A evolução foi um dos pontos positivos do ensaio. A escola teve algumas alas coreografadas, não houve buracos e nenhum tipo de desentrosamento. O espaçamento entre as fileiras das alas estava correto e o componente não encontrou dificuldade para evoluir.

Em busca de seu primeiro título da elite do carnaval paulistano, a Unidos de Vila Maria traz o enredo: “China: o sonho de um povo embala o samba e faz a Vila sonhar”,
assinado pelo carnavalesco Cristiano Bara. Pelo segundo ano consecutivo, a agremiação será a sexta a desfilar no sábado de carnaval.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui