A quadra do Paraíso do Tuiuti, em São Cristóvão, recebeu na noite desta segunda-feira uma palestra motivacional muito especial. O comandante foi o carnavalesco multi campeão Paulo Barros. O artista, volta para escola após passar em 2003, e revelou que sentia a necessidade de conversar com os componentes. Para o evento, a agremiação seguiu todas normas sanitárias, como uso de máscaras e distanciamento entre os presentes.

“Achei importante ter esse bate-papo. Nunca fiz isso. Sempre dividia essa parte com a minha equipe fechada. Sempre senti essa necessidade de ampliar essa comunicação/interação de uma escola como um todo”, afirmou o artista.

Ao site CARNAVALESCO, Paulo Barros falou sobre o enredo para o próximo carnaval e revelou que incluiu mais duas pessoas na sua equipe de pesquisa.

“O tema encaixa muito com o perfil da escola. Sempre quis fazer enredo com essa temática. Minha pegada será Iorubá, mas tenho certeza que faremos algo mais diferenciado. Esse tema tem uma árvore genealógica que expande para os lados, para frente, é uma loucura. Tive que primeiro esmiuçar e me aperfeiçoar no tema. A partir daí ficou fácil e a gente pretende, apesar de ser um enredo de plástica teoricamente conhecida, dar uma modificada, vamos dizer assim. Esse ano unimos mais duas pessoas na pesquisa que possuem esse conhecimento profundo do tema. Vieram para dar o alicerce”.

Paulo Barros enalteceu os sambas-enredo do Tuiuti nos últimos carnavais e afirmou estar feliz por estar na escola. “O Tuiuti se tornou uma referência na questão do samba-enredo. Em 2018, eu vi o samba explodir na Avenida. Fico muito animado de estar aqui e saber que a escola tem pessoas que podem produzir um samba de qualidade. O samba é mais de 50% de um desfile”.

A pandemia afetou a vida de todo mundo. Paulo Barros falou do impacto. “Muito complicado. A gente sente falta de tudo do carnaval. Minha vida é baseada na rotina carnavalesca durante o ano. Tem a fase que você vai descansar, depois procurar o enredo, depois o desenvolvimento dele. Tem o processo do ano que tenho montado na cabeça. A pandemia mudou tudo”.

São Paulo

Perguntado sobre os trabalhos nos Gaviões da Fiel, em São Paulo, o artista respondeu: “São Paulo começou o carnaval e depois o repasse do governo foi cortado. O trabalho hoje está parado. Meu trabalho está sendo executado para quando pudermos retornar efetivamente. Dependemos da verba para fazer o carnaval andar, como acontece no Rio de Janeiro”.

Certeza do sucesso

Ao site CARNAVALESCO, o presidente do Tuiuti, Renato Thor, falou sobre a chegada de Paulo Barros.

“O Paulo Barros traz um novo ânimo para comunidade. Quanto tempo que a gente não vê um carnavalesco fazer isso nas quadras? Nosso time está completo. Vamos brigar pelo título, mesmo que algumas pessoas subestimem. O título que não veio em 2018 não vamos poupar esforço para que venha em 2022. Estou emoção com as falas do Paulo Barros hoje aqui para comunidade. O Paulo sabe que terá total liberdade no Tuiuti. Sou de apostar e arriscar. Fiz isso com ele em 2003”.

Sobre a disputa de samba-enredo, Thor mostrou otimismo com a realização presencial na quadra: “Com o avanço da vacinação acho que a disputa será dentro da quadra. Estou entregando sinopse hoje e os sambas devem ser entregues lá para o dia 10 de agosto. Teremos até as pessoas vacinadas (até 18 anos com a primeira dose)”.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.