Cátia Drumond, filha de Luizinho Drumond e atual liderança da Imperatriz Leopoldinense, fez história no Carnaval 2023, após conquistar o título do Grupo Especial, que não chegava para Ramos desde 2001. Ela conversou com o site CARNAVALESCO sobre o quão representativa é essa vitória, as emoções que a acompanharam e os desejos para 2024.

Fotos: Allan Duffes e Nelson Malfacini/Site CARNAVALESCO

“Eu acho que ficha vai cair agora. Eu tenho os oito títulos. Desfilei pela primeira vez em 1980, mas agora eu conquistei meu primeiro título como presidente da escola. Eu estou muito feliz”, disse Cátia Drumond ao pisar na Sapucaí no Desfile das Campeãs.

Para alcançar o tão esperado título do Grupo Especial depois de 22 anos, a Rainha de Ramos precisou reforçar seu time. Um dos reforços foi o carnavalesco Leandro Vieira. Campeão duas vezes pela Mangueira e responsável por subir a Imperatriz da Série Ouro para a elite das escolas de samba, assim como fez no Império Serrano, ele foi uma das peças-chave para fazer o leopoldinense sonhar.

“Quando conversei com o Leandro, eu falei: ‘Eu quero sonhar, mas para sonhar eu preciso de você’. E a gente sonhou junto. Como diz o Pitty [de Menezes], o sonho virou realidade”, comentou a presidente.

Cátia Drumond dedicou a primeira colocação do crnaval carioca ao pai e presidente de honra em memória Luizinho Drumond. “Eu me sinto muito feliz e realizada. Pena que meu pai não pode estar aqui, mas esse título foi para ele”, declarou ela.

A presidente diz que não sente o ambiente hostil às mulheres no cargo de liderança dentro da Liesa. Além de Cátia, só há outra gestora à frente de escola de samba: Guanayra Firmino, a presidente da Mangueira.

“Tem hora que eu até esqueço que sou mulher. Nunca sofri nenhum tipo de preconceito por parte de outros presidentes e diretores da Liga. Estão eu esqueço até que sou mulher. Não existe essa diferença não”, relatou Cátia Drumond.

Apesar do favoritismo durante o pré-carnaval, a Imperatriz só pode celebrar o campeonato na última nota do quesito Evolução. Para Cátia, a disputa foi acirrada.

“Eu não achei que nós estávamos com mão na taça após o desfile. A gente sabia que tinham quatro ou cinco escolas que estavam brigando pelo título. Nós tivemos que esperar a última nota para gritar é campeã”, contou a presidente.

Foto: Ricardo Almeida/Divulgação Rio Carnaval

Para 2024, verde e branca de Ramos já está com planos de voltar para as cabeças e continuar competitiva. Cátia Drumond quer levar um carnaval maior e melhor para o Sambódromo.

“Um carnaval mais bonito do que esse, melhor do que esse. A Imperatriz vem para dar um outro espetáculo”, projetou sobre o próximo desfile.

Sobre favoritismo para ano que vem, a presidente quer manter o pé no chão, embora queira o bicampeonato.

“Acho que 2023 foi muito competitivo, não tem favorita para o ano que vem. Lógico que quem ganha fica com essa marca de favorita porque ela tem o dever de ir atrás do bi, mas acho que temos coirmãs totalmente prontas para serem campeãs”, finalizou Cátia.

Comentários