A tarefa de fechar um carnaval é um desafio enorme para qualquer escola. Primeiro por ter a responsabilidade de ser o grande fechamento do maior espetáculo da terra. Depois o obstáculo a manter o público interessado em seu desfile, uma vez que já se passaram todas as concorrentes. E por fim manter o alto nível em um desfile muito competitivo e conquistar o caneco.

Os desfiles de escolas de samba passaram a ser realizados em duas noites a partir da construção do Sambódromo, em 1984. No primeiro ano as noites foram no sábado e domingo de carnaval. Com a criação da Liesa, passou-se para os nobres domingo e segunda. 12 agremiações já tiveram a incumbência de passar por último, desde a modesta Villa-Rica à gigantesca Estação Primeira de Mangueira.

Os deuses do carnaval jamais permitiram, por exemplo, que o Salgueiro encerrasse um desfile na noite derradeira. Por outro lado a Mangueira já teve essa honraria seis vezes: 1984, 1988, 1993, 1996, 2010, 2016 e 2017. Em duas dessas oportunidades a escola sagrou-se campeã do carnaval, em 84 e 16.

Mas nenhum torcedor comemora tanto quando sua escola é sorteada para fechar o carnaval quanto o da Beija-Flor de Nilópolis. E não é por acaso. A Deusa da Passarela jamais havia fechado um desfile até 2005, quando encerrou e comemorou seu segundo tricampeonato. Em outras quatro oportunidades a azul e branca encerrou o espetáculo: 2007, 2008, 2011 e 2018. Em todas as oportunidades a Beija-Flor foi a grande campeã.

Além de Mangueira e Beija-Flor, outras três escolas já ganharam títulos encerrando os desfiles de segunda: Imperatriz (1999), Unidos da Tijuca (2014) e Vila Isabel (2013). Em 36 anos de desfiles no Sambódromo, apenas essas cinco escolas encerraram o carnaval e festejaram o título, totalizando dez campeonatos.

Outras duas gigantes da folia já encerraram a festa e nunca conquistaram o título no mesmo ano. A Portela, que fechou os carnavais de 1985, 1992, 1994, 2002 e 2006 e a Mocidade, que encerrou em 1987, 2004 e 2019. Grande Rio (2001 e 2012), Viradouro (2000 e 2009), Império Serrano (1989 e 1991), União da Ilha (1990 e 1998) e Villa Rica (1995) foram outras escolas que encerraram o maior espetáculo da terra.

Todas as escolas que encerraram a segunda noite de desfiles:

1984 – Mangueira
1985 – Portela
1986 – Imperatriz
1987 – Mocidade
1988 – Mangueira
1989 – Império Serrano
1990 – União da Ilha
1991 – Império Serrano
1992 – Portela
1993 – Mangueira
1994 – Portela
1995 – Unidos de Villa Rica
1996 – Mangueira
1997 – Vila Isabel
1998 – União da Ilha
1999 – Imperatriz
2000 – Viradouro
2001 – Grande Rio
2002 – Portela
2003 – Imperatriz
2004 – Mocidade
2005 – Beija-Flor
2006 – Portela
2007 – Beija-Flor
2008 – Beija-Flor
2009 – Viradouro
2010 – Mangueira
2011 – Beija-Flor
2012 – Grande Rio
2013 – Vila Isabel
2014 – Unidos da Tijuca
2015 – Unidos da Tijuca
2016 – Mangueira
2017 – Mangueira
2018 – Beija-Flor
2019 – Mocidade

Comentários