A União da Ilha do Governador teve problemas com o enredo “Um Herói, um Enredo, uma Canção”, que pretendia fazer uma homenagem a Elis Regina através da canção “O Mestre-Sala dos Mares”, de João Bosco e Aldir Blanc.

O samba e o enredo homenageavam o marinheiro negro João Cândido Felisberto, que liderou, em 1910, o movimento que ficou conhecido como “A Revolta da Chibata”.

A direção da tricolor foi chamada ao 1º Distrito Naval para dar explicações. O presidente Paulo Amargoso fez uma preleção, presenteando o almirante com uma camisa da Escola. Deixou com o fundador Orphilo Bastos, que era um grande boa-praça e falador, a missão de apresentar as “justificativas” do enredo:

– O senhor tá levando isso muito a sério, meu senhor – comentou Orphilo. O enredo não tem nada de subversivo. Isso é coisa de sambista mesmo. A gente só tá contando uma lenda… – e deu uma gargalhada amistosa.

O comandante sorriu também e decidiu aliviar. O enredo “Um Herói, um Enredo, uma Canção” foi para a Avenida, mas a Ilha não desfilou bem e foi a pique, ficando em 12º lugar.

Comentários