Acho gostoso lembrar nossas andanças pelas passarelas da vida e, deles, tirar alguma coisa para que possamos conversar. Trouxe hoje um episódio curioso que me veio à lembrança.

Estava em São Paulo e fui convidado a visitar a quadra da Rosas de Ouro. Era noite de festa e havia muitos convidados, todos convocados ao centro da quadra para as cerimônias de praxe. Na hora de beijar a bandeira, acabei ficando no rabo da fila.

Antes de chegar a minha vez, porém, o mestre-sala deu um passo à frente, plantou-se do meu lado e segredou: “Não encosta não, porque a bandeira tá toda babada…”

Pensando bem, é hora de se adotar um novo protocolo.

Comentários