Numa excursão do Salgueiro a São Paulo, a turma deu pela falta do compositor Geraldo Babão (“Chico Rei”, “Eneida, Amor e Fantasia”, ”Do Cauim ao Efó”, etc.) . Ele saiu para dar uma voltinha pela cidade, mas não retornou. O tempo foi passando e nada de Babão regressar, deixando todo mundo preocupado. E, nessas horas, os pensamentos são os piores possíveis. Imaginaram assalto, briga, tiros e vai por aí.

Cansados de esperar, os salgueirenses organizaram uma expedição e saíram em campo à procura do compositor. Lá pelas tantas, alguém percebeu que, do outro lado da rua, havia um sujeito de calça branca e camisa vermelha, abraçado a um poste.

– É ele!

E era mesmo. Tinha tomado um porre federal. Levou a maior bronca:

– O que é que você tá fazendo aí, pô?

Babão, olhos quase fechando:

– Esperando o 413 há uma porrada de tempo.

O 413 era o ônibus da linha Muda-Leblon.

Ajude o CARNAVALESCO a escolher os dez melhores desfiles do Sambódromo. Assista
ao desfile do Salgueiro em 1993 (“Peguei um Ita no Norte”) e dê a sua nota! VOTE AQUI

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.