Com o propósito de convidar o público a embarcar rumo ao universo musical do homenageado Lamartine Babo, a Imperatriz optou por um verdadeiro trem da alegria, como diz o samba-enredo. A alegoria acoplada que abria o desfile da escola de Ramos era provavelmente a maior, mais alta e mais impactante da Série A esse ano. Ao centro, o carro trazia a figura de Lamartine. Carnavalizado, conduzindo a maria-fumaça.

As composições do carro representavam antigos foliões. E um deles era Tiago Serpa, de 33 anos, e Emily Caroline, 20.

Tiago contou sobre a emoção de desfilar num carro tão grande e numa das maiores escolas de samba da folia carioca.

“A emoção de abrir esse desfile é muito grande. Esse carro é para entrar pra história da Imperatriz”, confessou.

Emily reforçou a responsabilidade da apresentação na verde e branca.

“É muito emocionante, eu torço muito para escola e sei o quanto é importante entrarmos na avenida com uma alegria tão imponente quanto essa”, afirmou.

Do outro lado da alegoria, os demais componentes também estavam empolgados em puxar o carnaval da escola de Ramos. Valesca Magalhães, de apenas 16 anos, era uma delas. Em seu segundo ano pela escola a adolescente desabafou sobre a diferença de 2019 para 2020.

“Tudo está diferente. As fantasias nesse ano estão linda e os carros iluminados. Atingimos nossa expectativa que era de emocionar a plateia”, finalizou Valesca.

Comentários