Por Gustavo Lima. Fotos: Felipe Araújo/Liga-SP

A Dragões da Real realizou na noite de domingo o seu primeiro ensaio no Sambódromo do Anhembi visando se preparar melhor e corrigir erros para seu desfile do carnaval 2020. O destaque ficou com a harmonia da escola, que estava bem sincronizada em todos os setores e os componentes cantaram com clareza e felicidade. O samba tem uma letra alegre, a bateria apresentou um andamento para cima e realizou várias bossas e paradinhas para a comunidade cantar em uma só voz.

Outro destaque foi o entrosamento da ala musical com a bateria, que vem de anos e é fruto de muito ensaio. Foi apenas o primeiro ensaio, mas deu para notar que a agremiação quer muito o título, está mostrando muito empenho e desta vez não quer mais bater na trave, como vem acontecendo nos últimos carnavais.

Samba-Enredo

O samba da escola pegou na comunidade. Todos os componentes cantam forte, e de fato os compositores acertaram na ideia de execução. O enredo é transmite felicidade e a obra acompanha, e é mais um ano que a agremiação aposta em um hino alegre, já virou identidade da escola. A obra permite que o compositor solte tudo para fora e consiga desfrutar do carnaval em sua essência e, dá para ver com clareza que todos sabem da responsabilidade que é o desfile, mas acima de tudo estão se divertindo neste carnaval de 2020. O intérprete Renê Sobral fez uma grande exibição neste ensaio e está cada vez mais em casa na agremiação da Vila Anastácia.

“Por ser o primeiro ensaio técnico, a gente viu um resultado muito positivo devido aos nossos ensaios de quadra e de rua, e nós já tínhamos uma imagem do que iria acontecer hoje e estamos surpreendidos com o canto da escola que veio muito bem. Em todos os ensaios estamos botando o povo pra cantar de verdade”, disse o intérprete oficial da escola, Renê Sobral.

Bateria

Com um andamento bem para cima, a bateria de Mestre Tornado, que está indo para seu sexto ano consecutivo a frente da Ritmo que Incendeia, apostou em muitas bossas e paradinhas, além de ensaiar com um número muito grande de componentes. Destaque para os agogôs e caixas, que são os naipes dominantes na bateria. Também vale ressaltar o grande entrosamento com a ala musical, estão bem sincronizados com o samba, os cavacos fazem arranjos desenhados durante o desfile, acompanhando as bossas da bateria.

“Hoje foi muito produtivo, todo ensaio é uma nova história, jogo é jogo e treino é treino, mas hoje tem que dar parabéns pra nossa bateria, eles estão de parabéns, fizemos o que está programado e o que estava ensaiado há seis meses e foi tudo bem, só tenho que agradecer a Deus e aos orixás. Sobre as bossas, eu sempre abuso delas, eu já abusava quando não era do regulamento, agora que é do regulamento, eu venho com seis bossas, tudo dentro dos compassos, o regulamento diz que cada bossa tem que ter 16 compassos e nós estamos dentro disso. Primeiro a nota pra escola, depois o show pra arquibancada”, declarou o mestre Tornado, diretor de bateria da agremiação.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

O casal Rubens de Castro e Evelyn Silva passou seguramente e priorizou o bailado com a dança rápida. A dupla irá para seu quinto carnaval juntos, alinhando a experiência do mestre-sala com a juventude da porta-bandeira, e pelo tempo que estão juntos, se entendem bem e devem ser um trunfo da Dragões da Real para o Carnaval 2020.

Comissão de Frente

Usando um tripé, a ala usou roupas coloridas e apostou em uma coreografia com os integrantes interagindo bastante com o público, exibindo muita alegria, sorrindo bastante, mostrando de fato o que a escola vai representar em seu desfile inteiro. A comissão de frente aparentemente representará um circo, pois alguns deles desciam do tripé com sapatos de palhaço. Portanto, imagina-se este cenário, um tripé representando o circo com palhaços saudando o público. A ver no dia do desfile oficial.

Harmonia

Foi o quesito destaque da escola, a comunidade deu um show e aula do que é cantar com clareza. A bateria juntamente ao carro de som fez algumas paradinhas e ouvia-se claramente o sincronismo entre os componentes, em todas as alas e setores. A comunidade mostra muito vontade de vencer, tem batido muitas vezes na trave nos últimos anos e transmite tudo isso no canto, que é fruto de muito ensaio em quadra, um trabalho incessante de todos os departamentos, principalmente o de harmonia, comandado por Rogério Félix. E o mais importante, muita alegria.

Evolução

A escola evoluiu muito bem em todos os desfiles, não mostrou espaçamentos, buracos e está apostando fortemente em alas coreografadas, com ao menos duas ou três por setor. A agremiação estava bem organizada, as alas usavam camisetas iguais, algumas específicas e outras do enredo. Muitas alas usavam bexigas e outros adereços de mãos, e em uma certa parte do desfile, a escola soltou vários balões, que causou um efeito especial e vistoso.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui