Com conjunto plástico irregular, Vila Maria faz desfile leve embalada por Wander Pires

1003

A Unidos de Vila Maria foi a sexta escola a desfilar na segunda noite de apresentações do Grupo Especial no Sambódromo do Anhembi. E desde a arrancada da escola o intérprete Wander Pires desfilhou sua impressionante categoria na condução do samba-enredo da escola. Sem dúvida foi o maior destaque do desfile da escola, provando ser um dos maiores intérpretes da história do carnaval. O conjunto visual esteve irregular com algumas alas bem bonitas e outras não seguindo o mesmo padrão. O mesmo se aplica às alegorias.

Comissão de Frente

A Comissão de Frente da Unidos de Vila Maria representou os guardiões do Portal do Sol (metade pássaro, metade homem) e em sua apresentação seus componentes apresentaram uma lenda peruana relacionada ao grande pássaro, o Condor. Nesta apresentação, os componentes apresentaram movimentos coreográficos e teatralizados. Foi um dos figurinos mais interessantes do Grupo Especial esse ano, todo em tons em preto e prata e com uma maquiagem no rosto. O tripé trazia o condor citado no enredo que em um dado momento se escondia atrás da escultura de um índio.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

O casal de mestre-sala e porta-bandeira personificou em sua fantasia as lágrimas Ínti. Laís e Everson Sena definitivamente viraram a página do acidente do ano passado, quando não puderam ser julgados após a queda de parte saia da porta-bandeira. Foi uma apresentação marcante, tecnicamente perfeita e com uma simbologia presente. O clima de entrosamento entre os dois foi perceptível ao longo da passagem deles pelo Anhembi.

Harmonia 

As primeiras alas do desfile passaram cantando forte a obra. Entretanto o canto não manteve a mesma fluência a partir da ala imediatamente à frente da segunda alegoria. A diferença de tonalidade no chão da escola foi perceptível quando essa ala cruzou a avenida. Embora as alas subsequentes não tenham repetido o desempenho do primeiro setor o canto voltou a aparecer a partir do segundo setor da escola, mas de uma maneira inconstante. Algumas alas cantaram mais que outras.

Enredo

A proposta não se desenvolveu de forma clara na avenida. Faltou leitura na maior parte das fantasias e o entendimento ficou prejudicado. Alegorias com muita informação prejudicaram também que a proposta obtivesse uma realização bem feita pela escola.

Evolução

Depois dos problemas enfrentados no desfile do ano passado a evolução da Vila Maria fluiu com muita alegria na avenida. As alas estavam livres para brincar e assim o fizeram. Com isso o andamento de desfile fluiu sem nenhuma dificuldade.

Samba-Enredo

Criticada no período pré-carnavalesco a obra teve excelente rendimento no Anhembi impulsionada por dois fatores preponderantes. A impressionante manutenção do andamento da bateria e uma antológica atuação de Wander Pires. Alas passaram cantando o samba sem precisarem ser cobradas pelos harmonias. Alguns deles inclusive gritavam o samba nas laterais da escola.

Fantasias

Conjunto irregular. Algumas alas, principalmente no primeiro setor, muito bem feitas e acabadas. Mas outras com o uso de materiais muito simples que não surtiram o efeito esperado na avenida. Aquelas que estavam bem produzidas eram volumosas, com esplendores e criavam um belo efeito na avenida.

Alegorias

Tal qual as fantasias, houve uma irregularidade no conjunto. O carro mais bonito e bem acabado era o quarto. Na terceira alegoria, haviam destaques na parte de trás da alegoria sem os devidos chapéus que compunham a fantasia de composições, como outros tinham. Isso pode acarretar na perda de pontos no quesito. Em outra alegoria crianças trajavam shorts e camisas da escola, sem qualquer decoração ou carnavalização.

Bateria

Uma atuação brilhante da Cadência da Vila, como é conhecida a bateria da Vila mais famosa. Manutenção do ritmo e andamento o tempo todo em grande entrosamento com o intérprete Wander Pires. O estilo da bateria se casa perfeitamente com o perfil melódico de canto de Wander. As bossas foram muito bem executadas.

Outros Destaques

No início desfile uma salva de fogos empolgou o público e pediu passagem para a apresentação da Vila Maria. A escola que tanto sofreu com um desfile extremamente complicado ano passado, se mostrou solta e feliz, o que contribui para um dos desfiles mais leves do Grupo Especial em 2019. O encerramento da escola foi pra cima, com um grande show da torcida nas arquibancadas lançando sinalizadores nas cores da escola.

Comentários