Sendo a segunda escola da noite, a Acadêmicos da Rocinha passou pela Intendente Magalhães com o enredo ‘Eu sou o samba, a voz do morro sou eu mesmo sim senhor’. Enredo que busca trazer as origens carnavalescas e mostrar a resistência do afro-brasileiro por meio da cultura. Destaque para a ala ‘vai quem quer’, que passou muito animada e cantando muito e ala das Baianas que estavam impecáveis com uma fantasia inspirada na orixá Oxum.

Fotos: Walter Farias/Site CARNAVALESCO

A ’bateria ritmo avassalador’ do mestre Júnior estava em harmonizada com o carro de som e ajudou a comunidade no canto, no entanto, após um início de desfile belo e promissor, a escola teve que correr na última parte do desfile para não estourar o tempo.

O primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira, Vinicius Jesus e Suelene Neves fizeram uma apresentação segura e tranquila, assim como a comissão de frente de Junior Barbosa que apresentou força e movimentos limpos na frente das cabines dos jurados.

Comentários