Na noite deste domingo, o site CARNAVALESCO acompanhou o show drive-in do Águia de Ouro, atual campeã do Grupo Especial de São Paulo. O evento foi realizado em um espaço a céu aberto que fica localizado atrás da quadra da agremiação. Devido a pandemia, a escola teve o máximo de cuidado e respeitou todos os critérios necessários para proteger o público que acompanhou o espetáculo.

Para delimitar os espaços entre um carro e outro, os funcionários guiavam o veículo até um local que fosse o certo e atingisse o distanciamento ideal. Para a alimentação, foi disponibilizado um cardápio, e, se a pessoa quisesse realizar um pedido, era preciso ligar o pisca alerta. Para o uso dos banheiros o protocolo foi o mesmo, um agente se dirigia até o automóvel e levava a pessoa até o local.

Antes de começar o show, as pessoas presentes puderam assistir a final da Champions League em um telão que se localizava no palco. Em todo o espaço, tinha uma iluminação efetiva fazendo com que a visão das pessoas não fosse atrapalhada. Houve este cuidado especial pois o local era aberto e estava escuro.

A ala musical, comandada por Douglinhas Aguiar e Darlan Alves, tinha mais dois cantores de apoio, seguidos de um cavaco, violão, pandeiro e tantan. A bateria, que ficou posicionada no palco, tinha 30 ritmistas que se revezaram em duas partes durante a apresentação. O som do espetáculo dava para se ouvir apenas em uma estação de rádio específica, a “90.3”, que tinha de ser sintonizada dentro do automóvel.

O show começou com sucessos antigos de pagode, e, depois, os intérpretes puxaram os hinos da escola. Houve dois casais de mestre-sala e porta-bandeira, quatro passistas e quatro baianas, que em um determinado momento da apresentação, desceram para desfilar entre os carros, sendo recebidas com muitas buzinas e piscas em forma de reverência.

Após, foram entoados sambas antigos e históricos da escola. Quando foi cantada a obra de 2020, o público cantou com muita força, pois foi o hino que levou a agremiação ao seu primeiro título. O show terminou com a comunidade gritando “é campeão”.

É uma forma diferente de se fazer um espetáculo de escola de samba, mas é o que se tem no momento. Deu para a comunidade matar a saudade e presenciar um grande espetáculo, com uma organização e estrutura de alto nível, atendendo todos os critérios de higiene e proteção contra a pandemia.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui