O Império Serrano foi a última escola a entrar na avenida com o enredo “Lugar de mulher é onde ela quiser”, que fala sobre o empoderamento feminino e retrata a trajetória de mulheres fortes que se destacaram pela história de luta. A Ala 1, nomeada de “Mãe, Imperiana mãe”, retratou as poderosas mães baianas, introduzidas nas agremiações para homenagear mulheres que fizerem frutificar o samba em seus primórdios. Apesar de ser uma das mais importantes do desfile, a ala não apresentou fantasia, as componentes estavam de calças e sapatos brancos e camisa da escola. Apesar disso, as componentes não reclamaram, foram a favor da presidente da escola.

Para Rosemery Delucca, é um privilégio estar nessa ala representando mulheres tão importantes que fizeram frutificar o samba em seus quintais. Ao ser questionada sobre a fantasia, ela desabafou.

“Eu não sei nem explicar, mas é uma fantasia que faz parte da nossa escola, eu já desfilei muito em carro, em ala, mas eu não aguento mais carregar peso, por isso eu gostei, é leve”, conta.

Fátima Malaquias, que também desfilou na ala, é uma das fundadoras da escola, e sentiu prestigiada por desfilar na ala.

“Sou presidente do conselho do negro, e falo muito sobre mulheres empoderadas hoje estou me sentindo uma delas”.

Sobre a fantasia, ela conta ao site CARNAVALESCO que já é uma mulher empoderada. “Essa é a minha imagem, estou com a minha camisa, minha bandeira, e pra mim isso é tudo”, afirma.

Comentários