A Beija-Flor define nesta quinta o hino oficial para o Carnaval 2020, quando a escola apresenta o enredo ‘Se essa rua fosse minha’, dos carnavalescos Alexandre Louzada e Cid Carvalho. A reportagem do CARNAVALESCO conversou com os grandes artistas da grande final, os compositores, sobre a expectativa pela memorável noite na quadra da azul e branca nilopolitana.

Júnior Trindade, um assíduo frequentador de finais na escola, elenca para o site os pontos de destaque do samba 05 e tece elogios ao enredo que a escola preparou para o desfile do ano que vem.

“Nosso samba tem nome e sobrenome. Beija Flor de Nilópolis. Buscamos os sambas da escola como referência e fizemos uma obra com o DNA nilopolitano. É impossível ouvir nosso samba e não dizer, ‘isso é Beija-Flor’. Essa obra nos toca em vários trechos: ‘Lá vou eu nessa roda gigante, nilopolitano eterno aprendiz…’, é uma referência às voltas da vida, aos caminhos que nos levam a aprender sempre e tirar das cicatrizes, força pra novos objetivos. ‘Não esqueço meu passado nem por onde eu andei’, como esquecer o passado? As glórias? As lágrimas? É uma conexão com as lembranças. ‘Ogunhê, meu protetor na avenida até o fim, no asfalto pra vencer, Maior é o Beija Flor…’, maior é e sempre será o Beija Flor. O enredo que fala de caminhos. Nele é possível fazer uma viagem pelas ruas e veredas, aos caminhos feitos pela humanidade e os caminhos dos corações, em especial os nilopolitanos. Sem dúvida a magia vai se revelar e mais uma estrela vamos alcançar”.

Júlio Assis, um dos poetas do time do samba 01, esmiúça a parte predileta da composição de sua parceria e declara o seu amor pela escola através do samba que fizeram para essa disputa.

“Compomos a poesia de um nilopolitano que vive, sonha e tem fé na vida que leva, passa pelos caminhos físicos e espirituais sem temer nada e ninguém, mas sempre respeitando a todos e no fim de tudo, tem orgulho de levar o beija-flor no peito. A nossa escola precisa de um samba aguerrido como o da nossa parceria. Entendemos que teremos o resultado tão esperado, com a nossa obra. ‘Me vejo em teu caminho, nessa imensidão azul do teu amor. E às vezes perdido, eu me encontro em suas asas Beija-Flor.’ Gostamos muito desse trecho, pois ele representa exatamente o tamanho do amor que nossa escola tem com cada componente da nossa comunidade e como esse amor é recíproco. Muitas vezes, mesmo com muitos problemas particulares, encontramos lá, em nossos ensaios, um acolhimento sem igual por parte da Beija-Flor. É sempre incrível estar lá. É um enredo belíssimo. Bem simples no título, mas muito complexo no seu desenvolvimento. É a especialidade da nossa escola, desenvolvimento de enredos complexos. Nesse em especial achamos que o diferencial será a forma de abordagem de todos os caminhos percorridos na vida. Esses caminhos, não são somente ruas e avenidas. A Beija-Flor vai surpreender, com toda certeza, ao abordar todos os caminhos q a vida nos leva”, esclarece.

Jorge Velloso, presidente da ala de compositores da Beija-Flor, encara mais uma decisão. Unido à parceria bicampeã pela escola, conta os pontos positivos de seu samba e do enredo da Beija-Flor.

“É um samba completo com uma letra de fácil entendimento sobre o enredo, com uma melodia para cima, que vai nos ajudar muito principalmente por sermos a última escola a desfilar fechando o carnaval. Gosto do trecho ‘Quem Chega De Rumos A Fora, Se Achega À Gente Sambista, Aflora Um Festival De Prata Em Plena Pista’, esse trecho remete à Marquês De Sapucaí. Por aqui a cada ano quando chega o carnaval, chegam milhares de turistas, amantes da festa, componentes, espectadores pra ver, ouvir a Deusa da Passarela e se juntar a nós em um grande festival de prata em plena pista. Gosto muito desse trecho embora tenha outros que muito me emocionem. Nosso enredo é inédito, vai falar sobre as ruas mundo à fora. Acredito na proposta e no desenvolvimento do enredo pela escola. Estou muito confiante e feliz”, destacou.

Comentários