Compositores finalistas na Vila Isabel enaltecem safra e sambas inscritos

1164

A Vila Isabel realiza nesta sexta-feira a sua final de samba-enredo para o Carnaval 2019, quando terá o enredo ”Em nome do Pai, do Filho e dos Santos. A Vila canta a Cidade de Pedro”, que será desenvolvido pelo carnavalesco Edson Pereira. Três parcerias estão na final e o site CARNAVALESCO contou com os compositores sobre a expectativa para decisão.

Para o compositor Thales Nunes, da parceria Hugo Oliveira, Markinho da Vila, Diego Rodrigues, Diego PS e Karlinhos Guerreiro, a disputa na escola foi excelente. * OUÇA AQUI O SAMBA

“Chegamos à nossa quinta final e considerei a disputa excelente. Na semifinal tivemos cinco obras de muita qualidade, sambas da casa. As parcerias são conhecidas pela escola. Para nossa parceria foi uma disputa aos trancos e barrancos no aspecto financeiro. Eu confio muito em nossa obra, por ser muito funcional e que não cai. Foram nove passadas no último sábado e nos mantivemos firmes. É um samba confortável, que funciona muito bem. Se for escolhido ajudará bastante em nosso desfile. Na final estamos pensando em um algo mais é claro, mas nosso foco principal é uma torcida que vai cantar muito”, disse.

O compositor Marcelo Mendes, da parceria de Jaiminho Harmonia, Rafael Zimmermman, Didi Tupinambá, Carlos Junior, Marcelo Oliveira e M.Moreno, também enalteceu a safra da escola. * OUÇA AQUI O SAMBA

“Foi um ano com muitos pontos positivos com relação à safra de sambas, um aumento considerável no número de inscrições (18 no total) e na qualidade das obras apresentadas. Levando em consideração que nos últimos anos, ou se tinha um único samba muito forte ou no máximo dois. Tivemos a sensação de que pelo menos quatro sambas teriam condições de representar a Vila Isabel na avenida com qualidade. Com relação à final, acreditamos numa das disputas mais acirradas nos últimos anos, quem sabe da última década. Sambas com características diferentes, mas que de alguma forma teriam todas as condições de serem o hino oficial. Focamos em alguns pontos que acreditamos serem os positivos para garantir os 40 pontos, que foram: criar uma letra que fosse de fácil compreensão, em que as pessoas pudessem entender o enredo através dela; buscar uma melodia agradável, emocionante e harmoniosa, além de criar um refrão que gerasse identificação com a comunidade e que fosse de fácil aprendizagem para o público da Sapucaí”.

O experiente compositor Evandro Bocão, da parceria de André Diniz, Professor Wladimir, Júlio Alves, Marcelo Valência, Dedé Augusto e Ivan Ribeiro, citou a participação das parcerias e disse ter a comunidade na torcida. * OUÇA AQUI O SAMBA

“Estamos mais uma vez nessa luta, foi uma disputa difícil. Uma coisa que me deixa muito feliz é ver compositores da comunidade participando. Eu que já participei de praticamente tudo na Vila. Eu e André estamos quase pendurando a chuteira e vejo a renovação, gente do morro. O nosso samba foi muito feliz na letra. Quem lê a obra identifica a imagem do enredo. A melodia é rebuscada e diferente. Como sempre buscamos sair do comum. Você canta e não associa a algo que já passou. Vamos fazer uma festa grandiosa, é uma marca da nossa parceria. Teremos algumas surpresas também, que não posso contar. O morro vai vir com a gente”, garante.

Comentários