Depois da renúncia de Luisinho Drumond da presidência da Imperatriz, alegando problemas de saúde, e a convocação de uma assembleia geral para a escolha de um novo mandatário dia 06/08, a comunidade da Imperatriz publicou um manifesto em apoio a Luisinho, pedindo que ele reveja a decisão. Na nota o grupo lembra as conquistas e a mudança de patamar da agremiação, oito vezes campeã do carnaval.

“Através deste, a comunidade do Grêmio Recreativo Escola de Samba Imperatriz Leopoldinense declara apoio ao patrono da agremiação – Luiz Pacheco Drumond. Entendemos os motivos apresentados pelo presidente. Compreendemos seus sentimentos. Luizinho Drumond é fundador da Liga Independente das Escolas de Samba e um dos responsáveis por elevar o patamar da folia carioca. Ao longo desses 40 anos, contribuiu para que o Carnaval Carioca se tornasse o maior espetáculo da Terra.
Antes de Luiz, a Imperatriz Leopoldinense era uma escola chamada de ‘ioiô’. Não tinha obtido grandes resultados até então. Em 1976, quando assumiu o cargo de presidente, o jogo mudou. Foram 8 campeonatos! Como se não bastasse, a escola se tornou a primeira tricampeã do Sambódromo e uma potência cultural. As conquistas não pararam por aí. A Imperatriz Leopoldinense levou para a Marquês de Sapucaí enredos históricos e presenteou a Música Popular Brasileira com sambas inesquecíveis.
Esta, portanto, é uma representação de gratidão. Reconhecimento a quem, por muitos anos, lutou e defendeu todos os pavilhões deste país.
Sim, o povo de Ramos está ferido. Mas acreditamos que, juntos, possamos voltar a vencer. Por esta razão, convocamos os torcedores e segmentos da escola para o movimento #FicaLuizinho, que acontecerá neste domingo (28), às 15h, na porta da quadra da Imperatriz, que fica na Rua Professor Lacê, 235, Ramos.
Vista a camisa da octacampeã do Carnaval e venha pra rua. A união entre os segmentos, direção, família Drumond, Luiz Pacheco Drumond e a comunidade da Leopoldina, colocará a Imperatriz Leopoldinense ao lugar que é dela de fato: o topo. E jamais se esqueçam:
‘A Imperatriz é um mar de fiéis’
Avante, G.R.E.S.I.L!”

A crise que culminou na renúncia do presidente teve início com o rebaixamento da Imperatriz no carnaval deste ano. A escola não descia de grupo desde 1978. Luizinho articulou uma virada de mesa na Liesa, mas após pressão da opinião pública e do Ministério Público a artimanha foi revogado. Enfraquecido, alegou problemas de saúde para se afastar definitivamente da escola que presidiu entre 1976 e 1983; 1986 e 1992 e 2007 a 2019.

Comentários