Por Victor Amancio

O enredo da Mangueira para o próximo carnaval irá abordar a biografia de Jesus Cristo, mas diferente do habitual o carnavalesco Leandro Vieira questionará como seria a vida de Cristo se ele renascesse nos tempos atuais na comunidade da Mangueira. Será que o destino de Jesus Cristo, com os mesmos ideais de dois mil anos atrás, seria o mesmo?

No Morro de Mangueira, em 2020, renascerá o Jesus Cristo, com a face retinta, o moleque cresce correndo pelos becos e vielas da favela convivendo com a violência, o abandono das instituições e com a pobreza. Seguindo a ideia do carnavalesco de trazer Jesus para dentro do morro, o site CARNAVALESCO ouviu a comunidade da escola para saber o que pediria e o que cada um apresentaria de bom para o Jesus da Mangueira.

Jonanthan Mendes, componente da comunidade, apresentaria para o Jesus da Mangueira os desfiles da escolas de samba por considerá-lo de extrema importância para cidade do Rio. Para ele a festa atinge positivamente a todos, até quem não participa da folia.

“Pediria para ele retirar a desigualdade social, não sei como ele faria isso, mas é um problema que faz muito mal para comunidade desencadeando diversos outros pontos negativos. Eu apresentaria os desfiles das escolas de samba do Rio de Janeiro, mostraria o quão sério é o trabalho realizado e o quanto é importante para o povo, até mesmo para quem não percebe, o carnaval atinge a todos socialmente, culturalmente e financeiramente”.

Diva Silverio diz que pediria para Jesus acabar com as mazelas da sociedade partindo da ideia de igualdade. Para ela é necessário que a gente olhe para o outro com o princípio de semelhança e amá-los como a si mesmo. “Eu pediria para ela acabar com as mazelas da sociedade, partindo do princípio de que somos todos iguais e apresentaria a ele algo que acredito que já seja do conhecimento de todos mas eu acho que é o que há que mais lindo entre nós: a nossa fé. Ela é encorajadora, motivadora e o que nós faz seguir em frente sempre em busca dos nossos propósitos, apesar de todas as adversidades”, comentou Diva.

“Eu apresentaria a força da comunidade da Mangueira que é uma comunidade super apaixonada pelo samba, pelo carnaval. Bate no peito, desce o morro em baixo de chuva e embaixo de Sol, aguerrida. Mostrar para Jesus Cristo a nossa força, nossa alegria e nossa determinação. Pediria para tirar de ruim a violência que muitas vezes impede o direito de ir e vir do morador, acabando com a diversão e a liberdade, pediria mais paz e menos guerra”, enfatizou o passista da escola, João Vítor.

Alexander Vieira, jovem ritmista da agremiação, acredita que a solução para os episódios de violência que acontecem não só na comunidade da Mangueira, mas como em outras diversas comunidades seria se Jesus voltasse.

“Eu gostaria que Jesus voltasse de fato e pediria para ele acabar com o genocídio que acontece na favela, as mortes dos inocentes que nada tem a ver com a guerra travada entre o tráfico e a polícia que chega sempre atirando sem mesmo saber em quem. Depois apresentaria o samba para Jesus por ser o que a gente tem de melhor”.

João Paulo apresentaria para Jesus a diversidade e a alegria da comunidade, que apesar dos problemas se une para um propósito maior, que é o carnaval.

“Eu apresentaria a diversidade do povo de Mangueira, aqui a gente pode ver todo mundo feliz, sorrindo, pessoas de todas as raças e crenças, de situações financeiras diferentes, pessoas que unidas acreditam em um único propósito que é o carnaval. E Jesus Cristo tendo dom de tirar algum de ruim, eu pediria para acabar com a intolerância, seja ela qual for”, encerra João.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui