No próximo carnaval, o Acadêmicos do Cubango levará para a avenida o enredo Onilé Cubango. Conhecida por ser divindade feminina, Onilé é, no Candomblé, a representação da senhora da terra, a verdadeira mãe.

Sob o título de Onilé Cubango, o enredo de autoria dos carnavalescos Alexandre Rangel e Raphael Torres pretende levar à Sapucaí um diálogo sobre a importância da proteção e a preservação da própria humanidade, além de tudo que há no planeta terra. “Vamos falar sobre a divindade feminina (orixá) que representa a base de toda a vida e é fundamental na tradição yorubá. Onilé é a dona da Terra e representa o nosso planeta como um todo, o mundo em que vivemos. O enredo surgiu na busca de falarmos sobre um tema de matriz africana, característica da escola, e na vontade de falar sobre um tema atual, que tivesse conexão com o que estamos vivenciando (queimadas das florestas, tráfico de animais silvestres e a questão da pandemia)”, explica Torres.

“A necessidade de comentar sobre os atuais acontecimentos veio através do que sabemos e gostamos de fazer: falar sobre matriz africana. Tudo vem da terra e à ela retorna! O objetivo do enredo é mostrar a preocupação com a preservação da própria humanidade e de tudo que há na Terra. Queremos que as pessoas entendam a questão da preservação do Planeta Terra é que possam repensar suas atitudes com a finalidade de revertermos essa série de acontecimentos que viraram o mundo de cabeça para baixo”, conta Rangel.

O presidente da agremiação, Rogério Belisário, festeja o enredo. “Os carnavalescos foram muito felizes na escolha desse enredo, que vai permitir que, ao pisarmos novamente na Sapucaí, possamos levar algo com a cara da Cubango, algo que a nossa comunidade vai desfilar com tranquilidade pois tem um chão forte. O tema é contemporâneo e traz história na medida certa. Acredito que vai ser um desfile histórico para a nossa escola e os nossos desfilantes”, finaliza.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui