O curso é uma iniciativa do blog e canal do YouTube Pensamento Social do Samba, criado por Vinícius Natal e Mauro Cordeiro, que tem como iniciativa mostrar a dinâmica das escolas de samba considerando não só teorias “acadêmicas” do campo das ciências humanas, mas também o cotidiano de quadras, terreiros e barracões.

Com a finalidade de refletir sobre a história do samba e seus principais personagens, o curso, ministrado por Vinícius Natal, possui como objetivo desmistificar a ideia da intelectualidade, considerando sambistas como “intelectuais orgânicos”, observando como compositores, ritmistas, passistas e outros segmentos internos às escolas de samba podem ser considerados intelectuais dotados de saberes particulares da cultura afrobrasileira.

Sobre o curso:

O curso “ Intelectuais Negros do Samba” considera a obra e a trajetória de sambistas negros como fundamentais para a construção da identidade brasileira. Atuando nas áreas da dança, pintura, batuque, memória e religiosidade, produziram potentes discursos que, ao utilizar seus corpos em trânsito na cidade, fundaram formas de pensar o mundo a partir do samba como prática de expressão social mediadora. São, portanto, intelectuais orgânicos que utilizam de suas próprias vivências para afirmarem o samba como expressão identitária de famílias e grupos negros oriundos do período do pós-abolição.

O curso é voltado para todos os públicos e faixas etárias, ou seja, não é necessário nenhum requisito prévio para participação. O valor é de R$ 100,00 (+ R$10,00 taxa) e será realizado entre os dias 26 e 29 de Abril. As aulas serão gravadas e terão duração de, aproximadamente, 2h30. A carga horária total do curso é de 9hs, Indicaremos atividades extra-classe para o fomento do debate (filmes e textos). A bibliografia do curso será divulgada em breve. As vagas são limitadas.

Política de Bolsas

Oferecemos bolsas integrais para candidatos negros (pretos e pardos) sambistas. Basta enviar uma carta, até o dia 05/04, justificando o interesse de participação no curso para [email protected]

Programação:

1- 26/04 – Samba e arte na obra de Heitor dos Prazeres

2- 27/04 – Miguel Moura e os “carnavalescos” pré-Fernando Pamplona (1930-1960)

3- 28/04 – Poética e afirmação social em Silas de Oliveira

4- 29/04 – Projetos de arte-política na obra de Martinho da Vila

Para inscrições e mais informações:

https://www.sympla.com.br/curso-intelectuais-negros-do-samba—turma-2__1166654

Sobre o professor:

É sambista. Frequenta, desde pequeno, a quadra da Unidos de Vila isabel e União de Jacarepaguá. É ritmista e já compôs sambas para diversas escolas de samba da cidade do Rio de Janeiro, sendo tri-campeão na A.R.E.S. Vizinha Faladeira entre os anos de 2008 e 2010. É Doutor em Antropologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, instituição a qual também se tornou mestre, pelo mesmo curso. É graduado em História pela Universidade Federal Fluminense e possui curso técnico em Publicidade e Propaganda, pela Escola Técnica de Comunicação.

Atualmente, cursa o Pós-Doutorado no Programa de Pós-Graduação em História da Arte, na UERJ. Atuou como pesquisador do Centro Cultural Cartola, atual Museu do Samba, instituição responsável pelo encaminhamento do dossiê que titulou as matrizes do samba do Rio de Janeiro como patrimônio imaterial brasileiro (IPHAN); Também foi Diretor Cultural do GRES Unidos de Vila Isabel, coordenando a instalação de um centro de memória físico e virtual, além de implementar a constituição de um acervo de memória oral com componentes da agremiação, dando origem ao documentário “Kizomba – 30 anos de um grito negro na sapucaí “; Exerceu a função de Coordenador de Promoção das Políticas de Igualdade Racial – CPIR – do município do Rio de Janeiro, articulando políticas públicas para a questão racial na cidade, agindo na implementação do MUHCAB – Museu da História e da Cultura Afro-Brasileira – e do Centro de Interpretação do Cais do Valongo, patrimônio mundial sensível titulado pela UNESCO.

Foi, também, professor de História do Colégio de Aplicação da UERJ. Além de artigos em revistas científicas, publicou dois livros: um livro de crônicas, “As Titias da Folia: O Brilho Maduro das Escolas de Alta Idade”, e o “Cultura e Memória nas Escolas de Samba do Rio de Janeiro: Dramas e Esquecimentos”;, ganhador do prêmio Afonso Carlos Marques do Santos em 2016, promovido pelo Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro. Hoje, atua como pesquisador do GRES Acadêmicos do Grande Rio, onde, para o ano de 2020, elaborou, junto de Gabriel Haddad e Leonardo Bora, o enredo “Tata Londirá: o canto do caboclo no quilombo de Caxias”, sobre o pai de santo Joãozinho da Gomeia.

Comentários