Dança das cadeiras estremeceu mundo do samba e trocas mexeram em estruturas sensíveis

4505

A dança das cadeiras, comum após os desfiles das escolas de samba, abalou como nunca o mundo do carnaval depois da folia de 2018. Profissionais que ocupavam postos importantes um longo tempo nas agremiações mudaram de ares. Resultados questionados pelas equipes de carnaval também fomentaram as substituições em um dos períodos mais intensos dos últimos tempos. A reportagem do CARNAVALESCO apresenta um guia completo de todas as mudanças nas 14 escolas do Grupo Especial.

Guia completo de todas as mudanças nas 14 escolas do Grupo Especial

Paulo Barros voltou para Viradouro. Foto: Divulgação.

UNIDOS DO VIRADOURO – De volta à elite do carnaval depois de quatro anos, a campeã de 1997 vem demonstrando todo o seu poder de fogo em busca de nem passar perto do ioiô do rebaixamento, algo que na pista ocorre desde 2011 com a escola que ascende do Acesso. Para atingir o seu objetivo a escola manteve a forte equipe que montou para vencer a Série A neste ano. Permaneceram o casal de mestre-sala e porta-bandeira, Julinho e Rute, e o intérprete Zé Paulo. Chegaram para o time o carnavalesco Paulo Barros, de volta à vermelha e branca depois de dez anos, além do coreógrafo Alex Neoral, que estava na Unidos da Tijuca. Outra chegada marcante na Viradouro foi o retorno de mestre Ciça, que marcou época à frente da bateria Furacão Vermelho e Branco, e regressa depois de uma década.

Diogo e Verônila novo casal do Império. Crédito: Alexander Soares

IMPÉRIO SERRANO – Rebaixado na pista em 2018, o Império foi uma das agremiações beneficiadas por mais uma virada de mesa que abalou o carnaval carioca. A tradicional agremiação de Madureira, nove vezes campeã no Grupo Especial, realizou importantes trocas depois da última colocação. Leléu foi contratado para defender o carro de som em substituição a Marquinhos Art’Samba. Chegou também Anderson Paz. O casal também foi trocado: saíram Feliciano Júnior e Raphaela Caboclo e chegaram Diogo Jesus e Verônika Lima. Para a vaga deixada pelo carnavalesco Fábio Ricardo foi contratado Paulo Menezes, o pai da ousada opção imperiana por adotar uma obra da MPB como seu samba-enredo para 2019. Mestre Gilmar permanece mais um ano à frente da Sinfônica do Samba, com o retorno de Quitéria Chagas ao posto de rainha dos ritmistas da Serrinha.

Evandro Mallandro estreia no Grupo Especial.

GRANDE RIO – Certamente a tricolor de Caxias foi a escola que mais sacudiu as estruturas do mundo do samba após os desfiles. Primeiro por ser a principal articuladora da virada de mesa que beneficiou a própria Grande Rio e o Império Serrano com o não rebaixamento. E depois por promover uma verdadeira faxina em praticamente toda sua equipe de carnaval. O intérprete Emerson Dias deixou a escola e para o seu posto Evandro Mallandro foi promovido. O mestre Thiago Diogo foi substituído pelo jovem ritmista Fabrício Machado, o Fafa. O casal foi parcialmente modificado. Permaneceu o mestre-sala Daniel Werneck que agora dançará com Taciana Couto, que era a terceira porta-bandeira. Thiago Monteiro foi contratado como novo diretor de carnaval para o lugar de Dudu Azevedo. Hélio Bejani segue para a comissão de frente. Renato Lage segue como o carnavalesco. 

Giovanna vai dançar com Fabrício Pires. Crédito: Rafael Arantes.

SÃO CLEMENTE – Garantida pelo nono carnaval consecutivo na elite do carnaval, o maior período da história da escola no Grupo Especial, a São Clemente fez algumas mudanças em seu time visando o desfile de 2019. A porta-bandeira Amanda Poblete foi dispensada e a experiente Giovanna Justo regressa ao carnaval ao lado de Fabrício Pires. O comando da Fiel Bateria segue com os mestres Gil e Caliquinho. Leozinho Nunes terá a companhia de Bruno Ribas no comando do carro de som. É a volta de Bruno ao Rio de Janeiro depois de dois anos afastado. O coreógrafo Júnior Scapin ocupará o posto deixado por Kiko Guarabyra. Depois de estrear na elite, o carnavalesco Jorge Silveira será o responsável pela condução da reedição do histórico “E o samba sambou”, desfile de 1990 da São Clemente que será reeditado em 2019.

Dudu Azevedo chega para direção de carnaval


UNIÃO DA ILHA
– O Carnaval 2018 representou o fim de uma era na tricolor insulana. O presidente Ney Filardi deixou a escola depois de uma década no comando. Com Ney a Ilha voltou ao Especial e regressou a um desfile das campeãs em 2014. Vice na gestão Ney, Djalma Falcão é o novo presidente. As mudanças não ficaram no campo político apenas. A principal delas foi forçada pela ida de Ciça à Viradouro. Sem o consagrado mestre, Keko Araujo e Marcelo Santos assumem a responsabilidade de comandar a histórica Baterilha. A comissão de frente recebe a chegada de Leandro Azevedo, para o posto deixado por Márcio Moura. Dudu Azevedo também foi contratado para gerir o projeto após a saída de Wilsinho Alves. O casal Phelipe Lemos e Dandara Ventapane, o carnavalesco Severo Luzardo e o intérprete Ito Melodia seguem na escola.

Tinga volta para casa

VILA ISABEL – Buscando se reafirmar como a escola que conquistou dois títulos na elite em sete anos, a Vila mexe novamente na equipe do último desfile. Fora das campeãs desde 2013, a azul e branca do bairro de Noel promoveu o retorno do ex-presidente Wilsinho Alves, agora como diretor de carnaval. A mais significativa contratação visando o desfile do ano que vem foi o regresso de Tinga, intérprete que marcou época na Vila entre 2004 e 2013, e que estava na Tijuca desde 2014. Prata da casa, Macaco Branco é o novo mestre de bateria. Com a saída de Paulo Barros, Edson Pereira voltará a assinar um desfile no Grupo Especial. Raphael Rodrigues e Denadir Garcia repetirão a parceria de 2018 no ano que vem na condução do pavilhão.

Fábio Baptista estreia no Especial

IMPERATRIZ LEOPOLDINENSE – A principal alteração no time da Rainha de Ramos foi a saída do carnavalesco Cahê Rodrigues. Desde 2013 na escola ele foi substituído pela dupla Mário Monteiro e Kaká Monteiro. Além da chegada dos artistas, o coreógrafo Fábio Baptista vai estrear no comando de um projeto de comissão de frente no Grupo Especial. Thiago Mendonça e Raphaela Theodoro, o casal de mestre-sala e porta-bandeira, mestre Lollo e o intérprete Arthur Franco seguiram na Imperatriz. Ricardo Fernandes chega para atuar ao lado de Wagner Araújo na direção de carnaval. 

Laíla, Fran-Sérgio e Jardel Lemos estão na Tijuca

UNIDOS DA TIJUCA – Dois anos seguidos afastada das campeãs fizeram a Tijuca contratar o principal reforço desta dança das cadeiras depois do carnaval. Laíla volta à agremiação onde trabalhou nos anos 80, depois de deixar um trabalho de mais de duas décadas na Beija-Flor. Mas a escola também sofreu a perda da porta-bandeira Jackeline Pessanha que regressou ao Salgueiro. A agremiação ainda não confirmou quem a substituirá e nem se o seu parceiro Alex Marcelino permanece. Para o posto deixado por Tinga, a Tijuca promoveu o regresso de Wantuir. A comissão de carnaval foi mantida, mas agora recebe o reforço de Fran Sérgio ao lado de Annik Salmon, Helcio Paim e Marcos Paulo. Para a comissão de frente, o jovem Jardel Lemos foi contratado.

Louzada segue na Mocidade

MOCIDADE – Escola que mais recebeu notas 10 no desfile de 2018, a Estrela Guia fez uma avaliação de que a equipe deveria ser mantida. A sexta colocada de 2018 foi a que menos promoveu mudanças em seu time. E só o fez por força maior, já que um dos diretores de harmonia Robson Veloso, devido a projetos pessoais precisou pedir dispensa do cargo. Em todos os demais postos da equipe os integrantes tiveram seus contratos renovados para 2019.

Marquinho Art Samba é o novo cantor da Verde e Rosa

MANGUEIRA – Depois da quinta colocação no desfile de 2018 a verde e rosa fez sensíveis alterações em sua equipe. Deixaram a escola os mestres Rodrigo Explosão e Vitor Art e assumiu o posto Wesley Assumpção. O intérprete Marquinhos Art’Samba foi contratado depois da dispensa de Ciganerey e os coreógrafos Priscila Motta e Rodrigo Negri assumiram a comissão de frente no lugar de Adriana Salomão e Steven Harper. O carnavalesco Leandro Vieira renovou com a escola e vai desenvolver seu quarto desfile na agremiação.

Rosa vai desenvolver enredo sobre Clara Nunes

PORTELA – No coração dos portelenses o grande reforço da agremiação foi o anúncio do enredo em homenagem à Clara Nunes, sonho de dez entre dez torcedores da escola. Em relação à equipe que deu à escola a quarta colocação este ano, apenas a comissão de frente foi alterada. Depois de um ano fora, Carlinhos de Jesus volta aos desfiles, e, pela primeira vez, vai desenvolver o projeto da comissão de frente da azul e branca. Rosa Magalhães, mestre Nilo Sérgio, Gilsinho e as equipes de harmonia e carnaval foram mantidas.

Emerson Dias é o novo cantor do Salgueiro

SALGUEIRO – Em ebulição política desde o fim do carnaval, a vermelha e branca nunca fez tantas mexidas em sua equipe na gestão Regina Celi. O casal Sidclei Santos e Marcella Alves deixou a escola e foi substituído por Jackeline Pessanha e o irmão Vinícius. Sérgio Lobato foi contratado para a comissão de frente após a saída de Hélio Bejani. Após as saídas de Leonardo Bessa, Hugo Júnior e Hudson Luiz, Emerson Dias foi contratado para o carro de som. Mestre Marcão e o carnavalesco Alex de Souza ficaram.

Celsinho continua no Tuiuti para 2019

PARAÍSO DO TUIUTI – Depois de realizar o maior desfile de sua história o Tuiuti acabou sofrendo poucas perdas na equipe. Os intérpretes Grazzi Brasil e Celsinho Mody tiveram os contratos renovados, mas Nino do Milênio foi dispensado. Patrick Carvalho foi contratado pela Vila Isabel e Filipe Moreira, primeiro bailarinho do Theatro Municipal o substitui. O casal Marlon Flores e Danielle Nascimento permaneceu. Jack Vasconcellos desenvolverá seu quinto desfile seguido na escola. Thiago Monteiro foi para a Grande Rio. Júnior Cabeça, André Gonçalves e Rodrigo Soares estão na direção de carnaval.

Válber terá a missão de substituir Laíla

BEIJA-FLOR – Mesmo campeã pela 14ª vez em sua história a Deusa da Passarela teve de lidar com uma grande perda no seu time. O diretor geral de carnaval e harmonia, Laíla, que participou dos últimos nove títulos da escola, deixou a Beija-Flor. Para o seu lugar chegou Válber Frutuoso, antigo pupilo de Laíla. As demais posições do time foram mantidas.

Comentários