Por Victor Amancio

Focada em voltar as suas origens e fortalecer sua comunidade, a São Clemente realizou seu primeiro ensaio de rua para o Carnaval 2020 aos pés do Morro Santa Marta. O presidente Renatinho enfatizou que pretende levar o ensaio para a praça Corumbá nos próximos domingos para aproximar e reconquistar a comunidade clementiana. Rebatendo as críticas do público que coloca a São Clemente como rebaixada, o dirigente prometeu brigar pela volta ao sábado das campeãs com um desfile que irá consagrar a escola no Grupo Especial.

“Ninguém tem bola de cristal, com o carnaval que minha escola vai levar para Sapucaí não vai ter nem como roubar de tão bonita que a escola estará. Quero um desfile muito mais que arrebatador, quero estar entre as seis campeãs, é um carnaval mais luxuoso até que o carnaval de 2015. Dizem que a São Clemente vai descer há 10 anos e seguimos aqui”, finalizou o presidente.

Comissão de frente

A comissão de frente da escola no último carnaval levantou a Sapucaí com uma crítica direta a virada de mesa no carnaval de 2018. Em busca da nota máxima, o quesito da São Clemente, comandada pelo coreógrafo Júnior Scapin, apresentou no primeiro ensaio de rua na comunidade uma coreografia alegre e irreverente, demonstrando um trabalho bem feito. Os bailarinos apresentaram passos bem marcados e muito bem entrosados durante o treino.

“É muito bacana a comunidade ver a comissão dançando, como a São Clemente não tem o costume de fazer ensaio na rua e agora o presidente está com essa proposta de aproximar a escola da comunidade. Eu faço questão de trazer a comissão, mesmo não tendo tanto espaço para dançar, vamos ensaiar para a comunidade conhecer e ver o desenvolvimento. Hoje apresentamos as duas coreografias de deslocamento e a do jurado começamos ensaiar amanhã no carro”, explicou Scapin.

Samba-Enredo

O samba composto por Marcelo Adnet, André Carvalho, Pedro Machado, Gustavo Albuquerque, Camilo Jorge, Luiz Carlos França, Gabriel Machado e Raphael Candela pegou o clementiano e conquistou o coração do torcedor. O samba com tom crítico, para cima e irreverente, a marca da São Clemente, conquistou a comunidade e os segmentos da escola. O carro de som da escola conseguiu aumentar o nível da obra.

“No início eu fiquei meio desconfiado se o samba realmente cresceria, mas o presidente acreditou e com sua visão que foi além hoje podemos ver que temos um grande samba e a nossa expectativa é muito grande. O samba é irreverente, é a cara da escola.”, falou Leozinho Nunes.

Harmonia

O carro de som, neste primeiro ensaio de rua, não teve a presença dos intérpretes Bruno Ribas e Grazzi Brasil, coube a Leozinho Nunes a missão de comandar sozinho o carro de som da escola. O intérprete demonstrou total segurança e levou muito bem o ensaio, sem deixar o samba cair em nenhum momento. A São Clemente sofre com o baixo número de desfilantes da comunidade, e busca através da iniciativa de ensaiar em Botafogo sanar esse déficit. Os segmentos presentes cantaram o samba durante todo o ensaio com
muita alegria e empolgação, conseguindo contagiar até o público que estava presente assistindo ao treino.

Evolução

Com pouco espaço por conta de alguns carros parados na rua a escola não pôde evoluir de forma ideal mas os segmentos evoluíram bem e dançaram com empolgação. Durantes os refrãos do samba, a comunidade, faz coreografias com muita animação. O diretor de harmonia, Marquinhos, enfatizou que nos próximos domingos a escola com a ajuda da comunidade vai tentar liberar a rua para melhor evolução dos quesitos e dos componentes.

“O ensaio foi bacana, pudemos reunir novamente a comunidade, surpreendeu, superou nossa expectativa e vamos continuar nos aproximando da comunidade. Depois da ida da quadra pra Presidente Vargas ficamos um pouco distantes da comunidade e com esse ensaio conseguimos reaproximar muita gente que estava distante da escola e vamos levar para avenida 14 a 16 alas da comunidade”, comentou Thiaguinho Almeida.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

O casal segue em busca da nota máxima para o quesito e demonstra cada vez mais entrosamento e alegria na dança. Fabrício e Giovana fizeram uma coreografia leve fazendo algumas referências ao samba. O mestre sala conduz muito bem a porta-bandeira que com sua experiência dança com maestria e leveza.

“É incrível e super importante voltar a ensaiar na comunidade, voltar para cá tem tudo a ver com o momento atual da escola que é de resgate ao seu perfil crítico e nada mais correto do que se aproximar da comunidade. Hoje por conta da dificuldade do deslocamento é um ensaio mais para curtir e testar um pouco do fôlego”, explicou Fabrício.

Bateria

Mestre Caliquinho apresentou uma bateria sem erros pronta para conquistar nota máxima no quesito, a Fiel Bateria faz poucas bossas, mas se confirma um dos principais quesitos da escola na busca pelo tão sonhado campeonato.

“Foi um ensaio muito empolgante ensaiar na minha comunidade, a bateria está bem ensaiada, bossas bem elaboradas de acordo com a melodia do samba. Os ritmistas estão de parabéns, ala praticamente completa, muitos desacreditavam desse ensaio e podemos ver que a comunidade se fez presente. Nós vamos continuar ensaiando aqui e o samba vai ficar cada vez mais na boca do povo”, encerrou Caliquinho.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui