Denúncia do MPF aponta pedido de Chiquinho para desfile da Mangueira

1877

Representantes do Ministério Público Federal (MPF) apontaram que o presidente da Estação Primeira de Mangueira e deputado estadual, Francisco de Carvalho, o Chiquinho da Mangueira, pediu R$ 1 milhão em propina para o desfile da Verde e Rosa.

O período especificado é final de 2013 visando o desfile de 2014. O MPF informou que o deputado recebeu seis parcelas de R$ 500 mil entre dezembro de 2013 e fevereiro de 2013, dando no total o valor de R$ 3 milhões.

Por meio de uma nota oficial, a Estação Primeira de Mangueira informou que, apesar dos acontecimentos políticos recentes que motivaram a ausência temporária de seu presidente Chiquinho da Mangueira, todas as atividades da agremiação seguirão normalmente, assim como o seu planejamento para o Carnaval 2019. A instituição, que completou 90 anos em abril, alega que sempre estará acima das pessoas e possui um estatuto vigente que vem sendo cumprido em sua totalidade.

O presidente da Estação Primeira de Mangueira e deputado estadual, Francisco de Carvalho, o Chiquinho da Mangueira, foi preso na manhã desta quinta-feira, por policiais federais, na Operação ‘Furna da Onça’, no Rio de Janeiro. Sem a presença do presidente, Aramis é o vice-presidente da Verde e Rosa e assume o comando da escola.

O deputado do PSC é acusado de participar do esquema de compra de votos com dinheiro de propina na Alerj. Chiquinho é corregedor parlamentar na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

Comentários