Por Matheus Mattos

Vinicius Martins está na categoria de mestres criados dentro da respectiva escola. O interesse em entrar pra bateria surgiu em um dos jogos da equipe de futebol do Palmeiras, em 2005. Através disso procurou a escolinha de bateria da Mancha Verde, desfilou e hoje assume o principal cargo da Puro Balanço.

Apelidado como “Maradona” pela semelhança com o antigo jogador argentino, ele tem um estilo de trabalho de pouca exposição, quieto, modesto, humilde e que divulga sua proposta aos poucos.

A bateria Puro Balanço tem seus instrumentos afinados no médio-grave, a batida de caixa é padrão e as terceiras tocadas no contratempo do samba. A criação de bossa é feita em conjunto com toda a diretoria. Um ponto de destaque do Puro Balanço é a ideologia que seguem, o mestre não esconde que o intuito da batucada é sustentar o canto da escola.

“Nós temos uma filosofia de trabalho onde queremos que o nome da escola brilhe mais que o nosso, e para isso precisamos deixar o ego de lado e fazer alguns sacrifícios na avenida. Sabemos que todo ritmista ama fazer uma paradinha, bossa, breque na avenida, mas tudo tem que ser avaliado para que não atrapalhe o decorrer do desfile. Para o carnaval de 2019 estamos com um bit um pouco mais pra frente que o nossos últimos anos, e sim, foi influência do Jorge Freitas. Ele é um carnavalesco diferenciado, conhece bastante o lado
musical do espetáculo e, pela experiência, disse que o samba ficaria melhor com o bit um pouco mais elevado, então nós fizemos alguns testes e após muita conversa chegamos em um resultado que agradou tanto nós como o nosso povo. É bastante produtivo trabalhar com ele, pois ele conhece muito e nos ensina muita coisa”, afirma mestre Maradona.

A escola de samba Mancha Verde será a terceira escola a desfilar na noite de sexta-feira (01/03) às 01h25, e traz o enredo afro: “Óxala, Salva a Princesa! A Saga de uma Guerreira Negra!”, desenvolvido pelo carnavalesco Jorge Feitas.

Comentários